Novelas

'Outro Lado': Cleo escolhe ir para a prostituição, e atriz comenta nova fase

É movida pela ambição que a ex-namorada de Mariano (Juliano Cazarré) se dispõe a viver esta experiência

Agência O Globo
Foto: Divulgação
Seja por destino ou escolha, o futuro de Giovana Cordeiro em “O outro lado do paraíso” é no bordel. Após ser retirada do Love Chic à força pela avó, Mercedes (Fernanda Montenegro), sem sequer ter feito um programa, Cleo não escapa de virar prostituta. É movida pela ambição que a ex-namorada de Mariano (Juliano Cazarré) se dispõe a viver esta experiência nos próximos capítulos da trama.
— Seguir por esse caminho é bem louco porque a avó da Cleo é quase uma santa. Mas ela é ambiciosa, anseia conhecer o mundo, quer mudar de vida. A personagem é um bichinho do mato, mas sempre teve curiosidade pelas coisas, não gosta da vida que leva. Mariano foi o primeiro amor, a descoberta sexual, o homem que a transformou em mulher. É maravilhoso agora vê-la numa nova transição — diz a atriz de 21 anos.
Giovana mergulhou fundo no universo em que Cleo estará inserida para entender como vivem as jovens que negociam o próprio corpo. Durante suas pesquisas, surpreendeu-se com o que ouviu.
— Conversei com algumas meninas e o que mais me pegou, me tocou, foi ver a prostituição infantil. Crianças de 11 anos... Vi a história de uma cafetina de 16. Tem meninas que perdem a virgindade fazendo programa. Tudo isso é assustador. Elas fazem sexo por dinheiro, mas falta noção do que realmente significa se prostituir — observa.
Cleo é maior de idade, mas o fato não diminui em nada a responsabilidade que Giovana sente em se tornar porta-voz desse tema em rede nacional:
— Embora ela vá para o bordel consciente do que está fazendo, é importante tocar no assunto, falar do respeito à prostituição, ao corpo da mulher... Não vamos entrar no lugar do caricato nem da alegria fantasiosa. Há preocupação em retratar a profissão com dignidade.
Uma coisa que Giovana não faz é julgar quem ganha a vida desta forma:
— Respeito muito a decisão de cada um. Compreendo, não julgo.