Novelas

Salve-se Quem Puder: Juliana Alves abre o jogo sobre beijo em homem trans

A atriz ainda falou sobre a importância da cena para a televisão brasileira

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Foi ao ar nesta quarta-feira (14) o tão esperado beijo entre Renatinha (Juliana Alves) e Catatau (Bernardo de Assis) em Salve-se Quem Puder. Na trama, a moça parou de insistir no relacionamento com Rafael (Bruno Ferrari) e começa a dar atenção ao estagiário da Labrador.

Após o rapaz ser discriminado por ser um homem trans, os dois acabam dando uma chance ao sentimento. Feliz por participar desse momento história da TV, Juliana usou seu perfil no Instagram para falar sobre a importância desse beijo.



"Qual a força do beijo? Grande símbolo do amor, o beijo pode representar muito mais que um gesto de carinho. Um beijo pode ser transformação e também luta. Me sinto muito honrada em fazer parte dessa cena emblemática na história da teledramaturgia: o primeiro beijo entre um homem trans e uma mulher cis em uma novela brasileira. O primeiro beijo trans interracial na nossa televisão aberta. É gratificante para mim, enquanto atriz, poder usar o meu trabalho para trazer representatividade e ajudar a normalizar o amor em todas as suas formas", começou ela.

E seguiu: "Por que esse beijo é tão simbólico? Em um país que aumentou a violência contra mulheres negras e no país que mais mata pessoas LGBTQI+ no mundo, essa cena simboliza o reconhecimento do nosso direito de ter uma vida digna e de ser feliz. Reverencio @glamourgarcia (atriz do primeiro beijo trans-cis na televisão brasileira), Rogéria (primeira pessoa trans na TV do país) e, principalmente, meu companheiro de cena @bedeassis , que emprestou todo seu talento ao Catatau para tornar possível esse trabalho incrível! "A igualdade e o respeito deve ser uma luta de todes! Vamos juntes!", finalizou.

Veja: