Novelas

'Segundo Sol': Edgar provoca Roberval sobre semelhança com o pai

Arquiteto lava a roupa suja com o empresário

Agência O Globo
- Atualizada em

Edgar (Caco Ciocler) e Roberval (Fabricio Boliveira) vão ficar cara a cara, pela primeira vez, como irmãos, em 'Segundo sol'. Após saber que são filhos de Zefa (Cláudia Di Moura) e Severo (Odilon Wagner), o arquiteto lava a roupa suja com o empresário. "Eu sei de tudo, Roberval! Pode parar de fingir. Eu sei que a gente é irmão! Irmão! De sangue, irmão mesmo, de verdade", brada, emocionado.

Mas Roberval, claro, não se mostra nem um pouco tocado. "Você sempre me apresentou pros outros como se eu fosse... “quase” seu irmão! Você sempre falou que eu era "como se fosse, quase filho daquela casa", que eu e minha mãe a gente era “como se fosse da família"!", dispara o empresário, mostrando toda sua mágoa. Edgar se penitencia, diz que não sabe se muda alguma coisa da maneira como sempre tratou o irmão ou a mãe deles, mas que pelo menos tudo se esclarece. "Não muda o que passou, mas pode mudar daqui pra frente! Você devia ter contado tudo pra mim! A gente é irmão, Roberval! A gente foi vítima do mesmo pai maluco! Ninguém foi justo com a gente!", afirma Edgar.

O ex-noivo de Cacau (Fabíula Nascimento), entretanto, se enfurece. "Justo? Você realmente quer me falar do que é justo? Foi justo eu ter sido criado como motorista enquanto meu irmão era criado como um playboy? Eu fui criado num quartinho.(...) Eu não quero que você tenha pena de mim! Você pode ter pena da maluca da nossa mãe, da pobre da Karen, das filhas que você mal criou, do lixo que você se tornou! Você pode ter pena até do tirano do nosso pai, que no fundo é um baita de um infeliz... menos de mim!", ordena.

O arquiteto, no entanto, afirma sentir dó do irmão, sim. "Mas eu tenho pena de você ainda assim. Você foi quem mais sofreu nessa história toda", lamenta Edgar. "Talvez por isso eu tenha me tornado o mais forte. Olha pra mim! Eu era nada e hoje eu sou tudo! Eu tenho tudo que eu quis e todos vocês estão na minha mão!", gaba-se Roberval.

Edgar argumenta que tanto dinheiro não adianta de nada, se o irmão só tem ódio, rancor e mágoa no peito. Roberval desdenha, acusa o arquiteto de ter inveja dele. "Não tenho! Você se tornou um tirano, um homem sem vida! Você é igualzinho a Severo Athayde! É mesmo filho do meu pai, vocês são idênticos!", dispara.

Irado, o empresário o manda sair de sua sala, se ele não quiser perder o emprego. O arquiteto, então, se demite. "Eu vim aqui de coração aberto, querendo paz, mas pelo visto isso é impossível! Agora quem não quer mais trabalhar aqui nesse escritório sou eu!", diz Edgar, deixando o crachá em cima da mesa. A atitude deixa o patrão ainda mais irado. "Como assim!? Quem demite aqui sou eu! E eu te recontrato! Pago o dobro do seu salário! Pago dez vezes o seu salário! E construo o shopping com o seu projeto, pronto! Onde é que você vai conseguir uma oferta melhor que essa?", afirma Roberval. "Em lugar nenhum. E por isso mesmo é que eu não tenho que aceitar essa oferta de emprego. Porque isso não é uma oferta de emprego, é a venda da minha alma! Com licença!", garante Edgar, que deixa a sala do irmão.