Novelas

'Segundo Sol': Agenor não aceita sexualidade de Maura

Ao descobrir que a filha é gay, o cozinheiro arma o maior barraco na delegacia

Agência O Globo
Maura (Nanda Costa) será escorraçada pelo pai, Agenor (Roberto Bonfim), em 'Segundo sol'. Ao descobrir que a filha é gay, o cozinheiro arma o maior barraco na delegacia. "Sapatona! Mulé macho! Tão ouvindo aí, vocês? É soldado Câmara que chamam ela, né? Pois tá correto, é um soldado, mesmo, isso aqui é macho, pega mulher! Eu devia ter desconfiado quando quis entrar pra polícia, usar farda, bota... carregar um trabuco", brada.
A policial fica sem reação diante dos absurdos proferidos pelo pai. "Que desgosto! Minha filha mais querida, justo a minha preferida! Eu me matei a vida toda de tanto trabalhar pra lhe pagar os estudos e pra quê?! Pra ver essa pouca vergonha? A maior decepção da minha vida! Uma fanchona, mulher macho, uma... sapatona!".
Maura pede que o pai pare de envergonhá-la em seu ambiente de trabalho. Nice (Kelzy Ecard) que também está no local implora para o marido ir embora. Quem espuma de raiva é Selma (Carol Fazu). "Cala essa boca que o senhor não tem o direito de falar assim com a gente! Qual é o problema? Que mal a gente tá fazendo? A gente tá junta, sim! E ninguém tem nada a ver com isso!". "Vocês que não têm o direito de esfregar essa pouca vergonha na cara de gente de bem, gente decente! O céu já desabou sobre a sua cabeça levando um inocente, na próxima Deus não vai errar! Que decepção, Maura, quanta vergonha! Vai arder no fogo do inferno com essa doença!", vocifera Agenor.
Já em casa, o funcionário de Cacau (Fabiula Nascimento) desconta a raiva na mulher. "Quer dizer então que você já sabia dessa descaração e não me contou?! Essa coisa torta não deve ser filha minha não... Você deve de ter arrumado um homem doente por aí, por isso que ela é troncha assim... Então, é o seu sangue ruim, de gente que não presta, essa sapatona não é filha minha!", dispara.
Nesse momento, Maura chega com Selma. Agenor logo vai avisando. "Não me chame de pai, que eu não sou pai de aberração! E o que essa filha duma égua tá fazendo em minha casa?!", diz ele, referindo-se a namorada da filha. "Quando eu lembro das noites que virei dando duro pra pagar pelos seus estudos em escola boa, enquanto Rosa ia praquela espelunca... eu apostei minhas fichas na filha errada! Na que nasceu torta! Tudo isso pra quê? Pra passar a maior vergonha, pra ter o maior desgosto que um pai pode passar na vida!", afirma.
Nice ainda pede que o marido dê tempo ao tempo. "Espera a poeira baixar antes de falar coisa que vai se arrepender depois!", implora. "Acha mesmo que vou aceitar essa pouca vergonha debaixo das minhas fuças? Nunca! Eu não sou mais seu pai e você não mora mais na minha casa! Ponha-se daqui pra fora! Nunca mais quero ver essa sua cara, eu lhe renego, nunca mais me chame de pai!", ordena Agenor.
Selma não se segura e chama o sogro de ignorante. "Um verdadeiro animal pré-histórico! O elo perdido entre um animal irracional e o ser humano!", acusa. "Lá vem a outra aberração achando que pode sacudir os cabelinhos das ventas na minha casa, sai daqui você também, some as duas de minha vida! Vão pro diabo que as carregue!", brada.
Nice e Maura se despedem aos prantos. A policial é levada por Selma para sua casa. Furioso, Agenor ofende ainda mais a mulher. "Se tá do lado do pecado, vai atrás delas! Pode ir, vai e não volta mais! Nunca mais abra essa boca pra falar dela aqui, na minha casa! Quero que queime tudo que for dela, queime tudo, Nice, não quero mais nem pó dessa coisa ruim aqui!", dispara Agenor.