Novelas

Trans que inspirou personagem de Ivana em 'A Força do Querer' participa da novela

Tarso Brant afirma que este é um momento onde a trama necessita de alguém que reforce o discurso de aceitação

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)

Vem mais surpresas por aí em 'A Força do Querer'. Tarso Brant, transsexual que inspirou Glória Perez a criar a personagem Ivana, interpretada por Carol Duarte, irá participar da novela.

(Reprodução: Gshow/ Isabella Pinheiro)

Na trama, seu personagem será como um guia para a jovem que está em um período de transição para o gênero masculino. Em entrevista ao site do 'Gshow', o mineiro de 24 anos, que recentemente deixou de lado o nome feminino pelo qual se tornou conhecido na mídia, revelou estar animado para começar a filmar sua participação. 

Para Tarso, este é um momento onde a trama necessita de alguém que reforce o discurso de aceitação. "É um assunto novo para algumas pessoas. Acho importante mostrar que as pessoas como eu não estão sozinhas. Sou gente, gosto de ajudar o próximo e quero contribuir para a sociedade de alguma forma, que seja na arte. Sei quem eu sou e o meu propósito é um só: ser feliz”, declarou.

(Reprodução: Gshow/ Isabella Pinheiro)
O jovem, que se tornou um consultor das questões de gênero para Glória Perez, autora da novela, não poupou elogios a atuação de Carol Duarte. "A Carol (Duarte) está brilhante. Dando um show de sutileza e mostrando muito além do problema do corpo, do exterior. Consegue falar da alma e o que a pessoa trans sente", disse.

Ainda em entrevista, Tarso contou que ficou emocionado com o convite feito pela autora para participar da trama que vem batendo recorde de audiência. O ator elogiou a delicadeza e sutileza com que Carol Duarte vem retratando a sua realidade e a de muitas pessoas trans ao redor do Brasil. "Eu me senti honrado. Me identifiquei em várias cenas da Ivana, principalmente, quando ela bate nos seios. Me emocionou demais porque passei por tudo aquilo. É um sentimento muito ruim se olhar no espelho e não se reconhecer, como se não fosse aquela pessoa”,