Onde Está Meu Trio

Carnaval: centro de acolhimento realiza bailinho para crianças durante a folia

Local é uma das unidades disponibilizadas para abrigar filhos de ambulantes que estão trabalhando nos circuitos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Brincadeira, música, fantasia e diversão. Esses foram os ingredientes presentes no bailinho infantil realizado na tarde desta segunda-feira (24) e que reuniu cerca de 100 crianças, no Centro de Acolhimento, Aprendizagem e Convivência (CAAC) da Escola Municipal Osvaldo Cruz, no Rio Vermelho.

Esta é uma das três unidades disponibilizadas pela Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) para abrigar filhos de ambulantes que estão trabalhando nos circuitos da folia. 

Fotos: Romildo de Jesus/Secom

Os vendedoras ambulantes Viviane Santiago e Mônica Ferreira, mães da pequena Maria Lúcia, de 9 meses de idade, falaram sobre o serviço. “Estamos seguras em deixar nossa filha aqui. Ela está bem cuidada e segura”, disse Viviane.

A aprovação do bailinho também veio por parte dos irmãos Kelly Oliveira, 6, e Emerson Júnior, 3, que já estiveram outros anos no centro de acolhimento. “Eu gosto das brincadeiras, do parquinho e da música do Baby Shark”, contou Kelly, após fazer uma maquiagem no camarim especialmente para a festa.

Segundo a coordenadora do serviço, a assistente social Mara Núbia Alves, as atividades realizadas pelo centro contam com a supervisão de uma equipe multidisciplinar. "É um trabalho muito gratificante e a equipe está desenvolvendo um excelente trabalho”, comentou.

Uma das 34 educadoras sociais do centro de acolhimento é Elza Souza, que, pela primeira vez, trabalha na unidade. “Gostei da experiência. Mesmo com tantas crianças, a gente trabalha com alegria. Aqui elas encontram toda assistência necessária“, afirmou

Balanço
Além da Oswaldo Cruz, os CAACs também funcionam nas escolas municipais Hildete Lomanto, no Garcia, e Casa da Amizade, em Ondina. Já são 453 menores assistidos até este domingo (23), 40% a mais que o registrado no mesmo período em 2019.

O público assistido tem direito a seis refeições diárias, atividades lúdicas, estrutura para higiene e dormida, além de uma equipe multidisciplinar com 50 profissionais que se revezam em turnos. A rotina começa com banho matinal, em seguida, tem um café da manhã, acompanhado por nutricionistas, para dar início às atividades diárias.

Ao longo do dia, acontecem também atividades recreativas como canto, dança, jogos, oficinas de desenho e brincadeiras diversas, reforçando a proposta de acolhimento, aprendizagem e convivência.