Onde Está Meu Trio

Denuncie casos de pedofilia, homofobia e abuxo sexual no Carnaval 2018

Confira quais são os órgãos que o cidadão deve procurar caso vivencie ou testemunhe estes casos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Infelizmente, casos que envolvem pedofilia, racismo, homofobia, abuso sexual e violência contra a mulher também ocorrem durante a folia. Por este motivo, durante o Carnaval será montado um suporte para atender as denúncias que envolvem estes assuntos. Confira abaixo qual são os órgãos que o folião deve procurar caso sofra ou presencie algum destes crimes.

Racismo e Homofobia

A Ouvidoria Geral do Estado irá funcionar em esquema de plantar entre os dias 09 (sexta-feira) e 13 (terça-feira), das 12h às 18h. Os cidadãos poderão registrar reclamações e sugestões sobre os serviços públicos do Estado, além de denunciar casos de pedofilia, homofobia e racismo.

Os canais de contato são: 0800-284-0011 (que receberá ligações via celular), Whatsaap (71) 99911.7631, www.ouvidoria.ba.gov.br e redes sociais Twitter @ouvidoriageral e Facebook.com/ouvidoriageral e Instagram @ouvidoriageralbahia.


Violência Contra a Mulher

O Carnaval de Salvador irá oferecer dois postos de atendimento para atender às mulheres que tenham sofrido violência verbal, física e sexual e o Hospital da Mulher estará aberto durante todos os dias da folia. Além disso, os foliões poderão ligar para o número 180 para registrar as denúncias e orientar as mulheres agredidas dos procedimentos que devem ser realizados. A ação é uma iniciativa da Secretaria de Política para as Mulheres.

Unidades móveis
•    Circuito Barra-Ondina (próximo às 'Gordinhas')
•    Praça Municipal (em frente à Câmara de Vereadores)