Onde Está Meu Trio

Pacientes de centros psicossociais fazem carnaval nas ruas do Centro Histórico

Bailinho percorreu da Praça Municipal até o Terreiro de Jesus, no Centro Histórico de Salvador

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A manhã dos pacientes dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) começou diferente quinta-feira (28). Com a presença de marchinhas, fanfarras, confetes, dança, os usuários dos dezoito centros da rede municipal participaram tiveram um dia de Carnaval. O bailinho percorreu da Praça Municipal até o Terreiro de Jesus, no Centro Histórico de Salvador.

Foto: Valter Pontes / Secom

Ao som de grandes clássicos da música baiana, puxadas por uma fanfarra, os pacientes, acompanhados dos familiares e amigos, fizeram um verdadeiro Carnaval. 

O objetivo da atividade está ligado à promoção da autonomia dos usuários do serviço psicossocial na busca de engajamento na cultura, da circulação na cidade, do exercício da cidadania e da construção de laços para além dos muros das instituições psiquiátricas. “Esse momento parece apenas uma comemoração, mas é algo muito importante para os pacientes. É um momento de inclusão deles na sociedade, os fazendo sentir inseridos e iguais aos outros”, afirmou Pablo Miranda, gerente do CAPS Gey Espinheira, em Pirajá.

Damiana Silva, 37 anos, acompanhava o filho Marcos Daniel, de 8 anos, que faz acompanhamento terapêutico no CAPS em Nazaré. Ela afirmou que a iniciativa faz uma grande diferença na vida dos assistidos. “É muito interessante essa atividade. Os pacientes se divertem, brincam e se sentem acolhidos. É uma forma de estímulo para a vivência na sociedade. Faz muito bem para eles”, declarou.

Mesmo enquanto dançava e pulava, Marcos Daniel falou sobre a alegria de participar da festa. “Eu estou gostando muito. Está muito legal. Eu queria que tivesse todos os dias. Estou muito feliz”, disse.