Carnaval

Presidente da Fundação Gregório de Matos aponta cansaço do Carnaval com cordas

Usando o facebook, Fernando Guerreiro falou sobre os trios para o folião pipoca que ganham força na festa

Da Redaçãõ
- Atualizada em

Muito se discute sobre o modelo do Carnaval baiano, mas poucas mudanças aconteceram nos últimos anos. As críticas ao atual modelo ganharam mais um aliado com o Presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, apontando que uma nova realidade já pode ser vista na festa com a atitude da própria população.

Em seu perfil no Facebook, Guerreiro afirmou que alguns "mitos começam a cair por terra neste carnaval". Primeiro ele destacou o Carnaval sem cordas, com bandinhas e fanfarras da quarta-feira (6). "Quarta não tinha nenhuma atração "top" na Barra e a rua estava lotada. Baianos ocupando de novo o Carnaval". "Impressionante: Mascarados lotado, lotado, entupido na Barra. Ocupando quase 01 km. Sem cordas, maior animação com Magary arrasando e paz na folia. Chiclete na Avenida sem cordas com praticamente a metade do público dos Mascarados. Só não está vendo quem não quer! Um não é melhor nem pior que o outro, mas o público começa a demonstrar cansaço e desejo de novidade e diversidade", disse. No final ainda alertou para que a mídia percebe isso: " A mídia precisa abrir o olho para isso!"Em outra parte do comentário, ele falou sobre o bloco Os Mascarados, sobre o trio sem cordas do Chiclete e do cansaço do público com o formato com grandes estrelas.