Carnaval

Primeira mulher a cantar em um trio, Baby do Brasil relembra: 'Foi onde tudo começou'

“É com muita honra e emoção que comemoro os 70 Anos do Trio Elétrico, como a sua primeira cantora", destacou

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

As comemorações dos 70 Anos do Trio Elétrico, tema do Carnaval 2020 de Salvador, teve um dos seus momentos mais especiais no show de Baby do Brasil, no início da noite de domingo, na Praça Castro Alves. “É logo ali, onde tudo começou”, disse a primeira mulher a cantar em um trio elétrico, apontando para o local onde tirou o microfone do bumbo e soltou a voz.

Foto: Divulgação / GOVBA

Em um trio parado de frente para a estátua do poeta Castro Alves, Baby fez o chão da praça tremer com a presença de centenas de foliões que se divertiram com o seu repertório. Além de contar histórias desde os tempos dos Novos Baianos, ela traçou com a música sua trajetória da folia da Bahia. 


“É com muita honra e emoção que comemoro os 70 Anos do Trio Elétrico, como a sua primeira cantora. É ali onde tudo começou, quando peguei o microfone do bumbo que tocava, e cantei: “Quem é o Campeão dos Campeões? E a massa gritou: “É o Bahia!” E foi assim que, com a voz e o microfone, foi transformada a trajetória e a história do trio elétrico da Bahia”, conta.


Baby fez uma apresentação interagindo todo o tempo com o público, que aplaudia suas histórias e cantava sucessos dos Novos Baianos, de sua carreira solo e de outros compositores, que marcaram os carnavais da Bahia.


Ela agradeceu e pediu o público para aplaudir Dodô e Osmar, os inventores do trio elétrico, ao Tapajós pela sua importância na história e a Valdemar, que emprestou o trio para a primeira apresentação dos Novos Baianos. Baby contou que, com este trio, o grupo também foi responsável pela transformação do som no caminhão. Sem grana para as cornetas, um tipo de alto-falante, colocaram caixas de som, que usavam nos shows.


“No trio emprestado por Valdemar, acrescentamos nas caixas de som as distorções da guitarra de Pepeu e criamos o som elétrico com o PA de palco. Isso foi tão incrível que gerou a transformação das cornetas para equipamento de som. O trio ganhou novo formato que tivemos que derrubar o muro para sair da garagem”, conta, sem esquecer de revelar que ganhou o nome de Morcegão da Madrugada ao chegar de madrugada na Praça Castro Alves.