Salvador

'A verdade vai aparecer', diz ex-New Hit ao deixar prisão; assista

Condenados por estupro de adolescentes, oito músicos foram soltos nesta quarta

Carol Aquino e Bruno Wendel, do Correio 24h
- Atualizada em

Condenados a 10 anos e oito meses de prisão pelo estupro coletivo de duas adolescentes na cidade de Ruy Barbosa, Centro Norte do estado, oito ex-integrantes da banda de pagode New Hit deixaram a prisão por volta das 16h30 desta quarta-feira (7). O habeas corpus chegou ao Complexo Penitenciário da Mata Escura pouco depois das 11h desta quarta-feira (7), onde cinco deles estavam custodiados. 

"Deus é justo. A verdade vai aparecer", disse um dos integrantes ao deixar a prisão. Wesley Danilo Borges Lopes, Michael Melo de Almeida e Alan Aragão Trigueiros, os três primeiros a sair da penitenciária no veículo dos advogados. "Temos mães, pais, familiares", comentou Alan, antes de entrar num veículo. Apesar do comentário, nenhum parente dos condenados se identificou no local. Uma jovem, que parecia ser fã do grupo, gritou "liberdade cantou".

Mais cedo

Apesar do habeas corpus ter sido concedido nesta terça, só nesta quarta a soltura pode ser concretizada. “Aqui, a demora é mais uma questão administrativa. Existem outros alvarás de soltura para hoje”, declarou o advogado dos acusados, Cléber Andrade, na porta do complexo penitenciário, antes de os clientes deixarem a prisão. Também estavam no Presídio Salvador: Willian Ricardo de Farias e John Ghendow de Souza Silva.

O alvará já chegou também ao Conjunto Penal de Feira de Santana, onde ficaram presos Eduardo Martins Daltro de Castro Sobrinho, ex-vocalista da banda, Edson Bonfin Berhends Santos e Guilherme Augusto Campos Silva. “Eles também podem sair hoje a qualquer momento”, disse mais cedo Andrade. 


Recurso

Mas, segundo o advogado, a decisão da Justiça cabe recurso. “Toda decisão cabe recurso. Neste caso, a Procuradoria do Estado pode recorrer da decisão, mas nós já nos antecipamos e já fomos à Brasília, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ)”, comentou Cléber Andrade. 

Nesta terça-feira (6), o TJ-BA concedeu habeas corpus coletivo aos ex-integrantes da New Hit. A decisão foi da Segunda Turma da Primeira Câmara Criminal da corte, pelo desembargador Lourival Trindade. 

Os pedidos de habeas corpus foi impetrado em conjunto pelos advogados de defesa dos condenados. O advogado Cleber Andrade informou ao CORREIO que a execução provisória foi “prematura” e o TJ-BA teria reconhecido “a discrepância”.

Relembre o caso

Segundo a Justiça, os oito ex-integrantes da New Hit violentaram duas adolescentes de 16 anos após um show em agosto de 2012. Os músicos foram condenados em 2015 por decisão da juíza Márcia Simões Costa, titular da Vara Crime de Ruy Barbosa, mas os réus ainda recorrem da decisão. Em agosto desse ano, a sentença condenatória foi confirmada, mas os músicos tiveram a pena reduzida de 11 anos e oito meses de prisão para 10 anos e oito meses também pela Segunda Turma da Primeira Câmara Criminal do TJ-BA.

Apesar de 10 réus terem sido condenados na primeira instância, os desembargadores decidiram absolver, na decisão de agosto passado, dois deles: Carlos Frederico Santos de Aragão, à época do crime segurança do grupo, e Jeferson Pinto dos Santos, um dos componentes.