Salvador

Advogadas realizam mutirão de atendimento a vítimas de violência

Só em Salvador, cerca de 50 mulheres foram atendidas e mais de 500 de outros estados receberam orientação

Thais Borges e Bruno Wendel
- Atualizada em

Para ajudar mulheres vítimas de violência, desde abril, o Coletivo TamoJuntas, formado por quatro advogadas, oferece acompanhamento - principalmente jurídico, mas também social e psicológico - gratuito. No próximo sábado, a partir das 9h, o grupo realiza o 2º Mutirão Lei Maria da Penha, na Igreja Batista Nazareth, em Nazaré.


Do encontro, cujo tema será os Desafios no Enfrentamento à Violência contra Mulheres, vão participar representantes de órgãos públicos, como a promotora Livia Sant’Anna, coordenadora do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher, e a ouvidora-geral da Defensoria Pública do Estado, Vilma Reis.


“A ideia do mutirão é ter contato com a comunidade, para as mulheres saberem do nosso projeto. Havendo demanda (de atendimento), vamos encaminhá-las, tirar as dúvidas, marcar o atendimento individual, que deve ser de pelo menos uma hora”, explica a advogada Carolina Rola, uma das fundadoras. A ideia surgiu durante uma campanha no Facebook, chamada #MaisAmorEntreNós, em que mulheres se disponibilizavam para fazer um serviço gratuito por outra mulher.


Só em Salvador, cerca de 50 mulheres foram atendidas e mais de 500 de outros estados receberam orientação. Para entrar em contato com o coletivo, basta acessar a página facebook.com/tamojuntas ou através do 71 99185-4691 (WhatsApp).


Correio24horas