Salvador

Alunos da rede municipal terão aulas virtuais a partir de segunda (18); veja como funciona

Objetivo é que as aulas sirvam como atividades educacionais complementares

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Em razão da pandemia do coronavírus, cerca de 33 mil alunos da rede municipal de Salvador começarão a partir desta segunda-feira (18) a ter aulas virtuais diárias durante o período de quarentena.

A ação, voltada aos estudantes matriculados no Ensino Fundamental II e na Educação de Jovens e Adultos (EJA) II, acontecerá gratuitamente através de um termo de cooperação com a Escola Mais – unidade de ensino de São Paulo. Para participar, o estudante deve se inscrever pelo site da instituição.

Os detalhes do Escola Mais Digital foram apresentados pelo prefeito ACM Neto e pelo titular da Secretaria Municipal da Educação (Smed), Bruno Barral, em coletiva virtual ocorrida nesta sexta-feira (15). O objetivo é que as aulas virtuais sirvam como atividades educacionais complementares, ou seja, sem avaliação, nesse período de isolamento social e sem previsão do retorno à normalidade na vida estudantil.

E para chegar aos demais alunos, principalmente os que não possuem acesso à internet, está sendo feita a negociação com um canal de TV aberta para exibição de aulas e também com uma operadora de celular para disponibilização de chips com pacotes de dados para estudantes. No caso das videoaulas, a produção do conteúdo já está planejada e a estimativa é de que comecem na primeira semana de junho. Neste caso, é possível que o conteúdo veiculado seja considerado como avaliação no calendário pedagógico.  

Funcionamento
O secretário Bruno Barral afirmou que as aulas virtuais acontecerão de segunda a sexta-feira nos turnos matutino e vespertino, ou noturno para os alunos da EJA. “De manhã, serão quatro horas e vinte minutos de aula, das 8h às 12h20, com os professores da Escola Mais. À tarde, ou à noite, no caso da EJA, haverá atividades com os professores da rede municipal, que estão recebendo capacitação para o uso da plataforma. Esse momento será destinado à realização de roteiros de estudos, revisão e esclarecimento de dúvidas, bem como para o atendimento individual dos alunos”, explicou.

Ministradas via plataforma Canvas, as aulas abordarão todos os conteúdos previstos para cada ano de escolarização dos segmentos atendidos pela iniciativa. Todo o material é alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e os professores farão a relação entre o conteúdo das aulas virtuais e o adotado pelo Nossa Rede, desenvolvido pela rede municipal de ensino.

Todos os gestores, professores e coordenadores pedagógicos diretamente envolvidos passaram por formação específica para utilização da plataforma. Os alunos receberão um login e senha e poderão participar das aulas por computador ou celular (IOS e Android). 

Retorno do calendário
Na coletiva, o prefeito também falou que a retomada das aulas não acontecerá neste mês de maio nas redes municipal e particular. “Ainda não existe uma data, talvez até nem seja possível retomar no mês de junho a depender do cenário da pandemia. No entanto, estamos conversando também com a rede privada para que seja permitida a compensação das aulas em 2020 e 2021, com calendários diferentes do tradicional, tendo que sacrificar inclusive o recesso e as férias para que as crianças não tenham o ano de 2020 comprometido”, disse ACM Neto.