Salvador

Após acidente, bafômetro em motoristas de ônibus serão intensificados

Para o Sindicato dos Rodoviários, isso não resolverá os problemas enfrentados pela categoria, que reclama de falta de descanso dos motoristas

Da Redação / Correio24h
- Atualizada em

Após o acidente entre dois ônibus na região da Bonocô, que deixou 21 feridos na manhã do último domingo (23), a Transalvador decidiu intensificar as blitze de alcoolemia entre os motoristas de transporte público.

Os dois motoristas envolvidos no acidente foram suspensos de suas atividades e ficaram sem trabalhar até que a perícia fique pronta. Para o Sindicato dos Rodoviários, as blitze não resolverá os problemas enfrentados pela categoria no dia a dia.


"Não existe essa questão de alcoolemia na categoria. Falta descanso", diz Daniel Mota, diretor de imprensa do sindicato, em entrevista à TV Bahia. Mota também cita o não cumprimento da Lei Federal do Descanso (nº 12.519/2012), que estabelece que para cada carga-horária de 7h cumprida pelos motoristas, estes devem descansar uma hora, "por questões de mobilidade urbana e carga horária apertada".Além do acidente do último domingo, outros dois acidentes graves envolvendo ônibus já aconteceram em 2013: um na via exclusiva da Estação Transbordo, no Iguatemi. em abril, e o outro também na via exclusiva da Vasco da Gama, em maio. Ao todo, os três acidentes deixaram quatro mortos e mais de 40 feridos. 


Devido ao acidente no final de semana, a partir desta terça-feira (25) duas outras empresas (Expresso Vitória e São Cristóvão) passam a fazer a linha Base Naval- Campo Grande, operada até então pela Boa Viagem, empresa que foi suspensa por 30 dias pela Transalvador.


Em dias úteis, a linha funciona com frota de seis veículos coletivos para as 32 viagens programadas, que saem da Base Naval de 40 em 40 minutos a partir das 4h50 da manhã. Já a linha Alto de Coutos-Pituba não será mais transferida para outra empresa, como havia divulgado anteriormente a Transalvador. A Boa Viagem foi suspensa somente na linha do ônibus que colidiu na traseira do outro coletivo.

Matéria original: Correio24h

Duas empresas vão substituir companhia de ônibus suspensa pela Transalvador