Salvador

Após afogamento, três banhistas são resgatados com vida e um morre na praia de Itapuã

O caso foi registrado às 12h15, em trecho da orla próximo à 12ª Delegacia (Itapuã)

Redação Correio 24h
Quatro pessoas se afogaram na praia de Itapuã no início da tarde deste domingo (9), segundo informação da polícia - um homem foi retirado da água inconsciente e morreu no local. 
O caso foi registrado às 12h15, em trecho da orla próximo à 12ª Delegacia (Itapuã). As quatro pessoas foram puxadas pela água. Corpo de Bombeiros e Salvamar foram acionados para fazer o resgate. Um helicóptero do Graer chegou a ser encaminhado ao local, mas segundo a Polícia Militar não foi necessário para o resgate e não participou da ocorrência. 
As vítimas foram atendidas no local pelos Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que socorreu os afogados. Três delas foram retiradas lúcidas da água.
A quarta pessoa, identificada como Carlos Alberto Pereira Dias, de cerca de 50 anos, já foi retirado da água desacordado. Depois de procedimentos para tentar ressuscitar a vítima, o Samu constatou o óbito. O corpo foi removido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).
Em maio desse ano, uma mulher morreu afogada na mesma praia. O corpo foi achado boiando por volta das 16h45, depois de denúncia de banhistas. O resgate foi feito com apoio do Graer. Uma ambulância chegou a ser encaminhada ao local, mas já encontrou a vítima sem vida. O mar estava agitado, mas não foram informados detalhes sobre a circunstância do afogamento.
Até junho, dezenove pessoas morreram afogadas em praias de Salvador, segundo dados do Corpo de Bombeiros. No inverno, o risco aumenta por conta da ressaca na faixa litorânea, que faz com que as ondas cheguem até a 2,5 metros.
Em maio, dois adolescentes morreram afogados na praia da Barra. Na época, o major Rogério Cerqueira, subcomandante do Grupamento Marítimo dos Bombeiros (GMar), orientou que a população escolhesse um local para se banhar com a presença de salva-vidas. "A gente recomenda à população que façam o banho de frente ao posto de guarda vida para que possam ser rapidamente resgatados caso algo aconteça. Se eles fazem banho em horário incompatível, ou fazem em praia sem posto, o tempo de resposta pode ser muito longo", afirmou na ocasião.