Salvador

'Aqui na Sussuarana não tem só vagabundo', diz mãe de jovem morto pela polícia

Amigos e família do segurança Ícaro Silva França, 23 anos, fizeram protesto em direção ao CAB

Redação do Correio 24 Horas

Amigos e familiares do segurança Ícaro Silva França, 23 anos - morto por policiais militares no bairro de Sussuarana no último 18 - fazem um protesto na manhã deste domingo (4), na Avenida Avenida Ulysses Guimarães, em Salvador. 

Foto: Giana Matiazzi/TV Bahia

O grupo pede justiça e paz após a morte do jovem e segue até o Centro Administrativo da Bahia (CAB), onde irá soltar balões brancos. "Ele estava em uma moto e os policiais chegaram, pegaram ele de costas, e atiraram. É de costume eles entrarem no bairro atirando. Aqui na Sussuarana não tem só vagabundo. Tem gente de família e meu filho era tranquilo, muito querido e amado. A gente está aqui pedindo paz para a comunidade e para que isso não aconteça com outras famílias", disse a recepcionista Belisa Machado Silva, 42, mãe de Ícaro, ao CORREIO. Segundo ela, cerca de 250 pessoas participam do ato.

De acordo com a família do segurança ele foi morto durante uma incursão de policiais da 48ª CIPM (Sussuarana) no final de linha do bairro de Sussuarana Velha. No último dia 19, um dia após a morte de Ícaro, populares atearam fogo a um ônibus na mesma Avenida Ulysses Guimarães em protesto pela morte do jovem. O corpo dele foi sepultado no último dia 19 no Cemitério Quinta dos Lázaros. O CORREIO entrou em contato com a Polícia Militar (PM), mas até a publicação desta reportagem não obteve retorno sobre o caso.