Salvador

Assaltantes estudavam vítimas antes de assaltá-las em terminais na Av. Tancredo Neves

Bandidos observavam a movimentação perto de caixas eletrônicos e esperavam o melhor momento para agir

Redação Correio 24h

Galego foi preso na sexta, com arma e munições
(Foto: Divulgação/ Ascom PC)


O grupo que assaltava clientes nos terminais de autoatendimento da Avenida Tancredo Neves observava as vítimas antes de cometer o crime e esperava o melhor momento para atacar.A ação era organizada, com cobertura do lado de fora e acompanhamento de dentro de um carro. Um dos envolvidos foi preso e apresentado à imprensa na manhã desta segunda-feira (21). Segundo a titular da 16ª Delegacia (Pituba), Maria Selma Lima, o grupo praticou cinco assaltos na região no último mês. Os suspeitos sempre usavam um veículo Pálio azul e agiam com três ou quatro integrantes, sempre depois das 18h.A polícia acredita que eles escolhiam esse horário por conta do movimento."Eles estacionavam o carro próximo ao terminal e ficavam observando o movimento. Um deles permanecia no carro, enquanto os outros desciam do veículo. Apenas um entrava no terminal, rendia e assaltava as vítimas. Os outros ficavam do lado de fora, dando cobertura", contou a delegada.Segundo a assessoria da Polícia Civil, as investigações começaram depois que os gerentes de duas agências bancárias procuraram a 16ª Delegacia para informar sobre um assaltante que já teria roubado cinco pessoas, em cerca de 15 dias. "Depois que recebemos a informação montamos uma campana no entorno dos terminais, todos os dias, durante uma semana. As equipes do Serviço de Investigação da delegacia iam se alternado até que realizamos a prisão do Eduardo, na sexta-feira", contou a titular da 16ª Delegacia, Maria Selma Lima.Prisão

De acordo com a delegada, Eduardo José Santos Cerqueira, 34 anos, o Galego, foi preso momentos antes de praticar outro crime. Ele estava descendo do carro, um veículo pálio azul - descrito pelas vítimas como o carro usado nos assaltos anteriores - quando foi surpreendido pelos policiais. "Antes ele ficou dando voltas, passou duas vezes e na terceira resolveu estacionar. Quando ele desceu do carro nós o pegamos em flagrante", disse a delegada.Os investigadores apreenderam com ele um revólver calibre 38 e seis munições do tipo holly pointer, que explode quando atinge o alvo. A delegada contou que no momento da prisão, Galego estava também com um aparelho chupa-cabra - dispositivo usado para clonar cartões bancários. Ele negou todas as acusações."Sou inocente. Não tenho nada a ver com esses assaltos. Quero que ela (delegada) mostre as imagens. Se ela mostrar as imagens do assalto em que meu carro ou eu aparecemos, eu mesmo me entrego", afirmou Galego.Quando questionado sobre o revólver encontrado com ele, o suspeito disse ser para garantir sua segurança. "A arma é para defesa pessoal. Eu sofro ameaça por causa de outros problemas que não vem ao caso", disse.Segundo a delegada, a participação de Galego nos assaltos é uma certeza e foi solicitada a prisão preventiva do suspeito. Ele será indiciado por roubo e porte ilegal de arma. Eduardo já responde processo por tentativa de homicídio, em Morro do Chapéu, e tem passagens por furto e tráfico de drogas, em Feira de Santana. Ele foi encaminhado para a cadeia pública e o material apreendido foi para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT). O carro apreendido também será investigado. Os outros suspeitos de envolvimento no crime ainda estão foragidos.

Correio24horas