Salvador

Autor das ocorrências envolvendo seringas pode ficar preso por pelo menos 4 anos

Polícia Civil já registrou 16 ocorrências envolvendo o crime na Bahia; 14 foram em Salvador

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A Polícia Civil da Bahia já registrou 16 ocorrências envolvendo seringas no estado, desde o dia 18 de setembro. Nesta quarta-feira (26), a diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), delegada Fernanda Porfírio de Souza, informou que o autor ou autores dos crimes poderão cumprir até quatro anos de prisão pelo crime.A delegada afirmou que o "maníaco da seringa" poderá ser indiciado por até três crimes, sendo eles lesão corporal, com base no artigo 129 do Código Penal Brasileiro (CPB), com pena de três meses a um ano de detenção; por disseminar doença ou praga, pelo artigo 61 da Lei de Crimes Ambientais, cuja pena de reclusão pode chegar a quatro anos; e por causar perigo de contágio de moléstia grave, com base no artigo 131 do CPB, com pena de um a quatro anos.Até a tarde desta quarta, a Polícia Civil registrou uma ocorrência na Região Metropolitana de Salvador (RMS), outra em Feira de Santana, e as demais em Salvador.Leia também: 'Maníaco da seringa': picada oferece três riscos de infecção, diz especialistaA polícia e a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), por meio do Hospital Geral Couto Maia (HGCM), estão trabalhando em conjunto para possibilitar a coleta do maior número de informações. O Depom também está verificando a existência de câmeras de monitoramento nos locais onde foram relatados os ataques. Apenas uma das vítimas que registrou ocorrência em unidade da Polícia Civil se dispôs a comparecer no Departamento de Polícia Técnica (DPT) para auxiliar na confecção de um retrato-falado do suspeito, mas ainda é aguardada no DPT.Quem tiver informações que possam auxiliar a polícia na identificação e captura do suspeito das ocorrências com seringas, pode ligar para o Disque - Denúncia (3235-0000) ou para 190. Não é necessário identificar-se.