Salvador

Avenida ACM terá requalificação no trânsito e nova praça no Itaigara

Obra custará R$ 34 milhões em contrapartida da Petros por construção de sede da Petrobras; a duração é de nove meses

Clarissa Pacheco (clarissa.pacheco@redebahia.com.br)
- Atualizada em
O trecho da Avenida Antonio Carlos Magalhães, que vai da entrada do Parque da Cidade até o posto Namorados, na chegada à Avenida Otávio Mangabeira, passará por uma obra de requalificação, que inclui mudanças no trânsito, instalação de passarelas e semáforos inteligentes, além da construção de uma praça na Rua Silvio Valente.A ordem de serviço para as obras foi assinada nesta segunda-feira (1º) pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) e apresentado à imprensa. O prazo de conclusão da obra, que custará R$ 34 milhões, é de nove meses. O recurso é proveniente de um Termo de Acordo e Compromisso (TAC) firmado com a Petros, o fundo de pensão de funcionários da Petrobras.
Foto: Divulgação/ Agecom
"A Petros construiu um grande edifício na Avenida Antônio Carlos Magalhães que vai ser a sede da Petrobras aqui na Bahia. Esse edifício causa impactos na cidade, sobretudo pelo aumento do volume de automóveis que vão circular nessa área com o funcionamento pleno do edifício, então a prefeitura exigiu, como contrapartida, esse conjunto de intervenções que vão melhorar o trânsito na Avenida ACM e ainda, também, com esse equipamento público aqui no Itaigara, exatamente para que um empreendimento como esse não traga restrições à qualidade de vida dos moradores", afirmou o prefeito ACM neto (DEM).Trânsito
De acordo com o titular da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), Fabrizzio Muller, o conceito de requalificação da Avenida ACM é parecido com o que foi feito no Iguatemi. "O projeto foi concebido em consonância com o futuro projeto do BRT, com os elevados da Avenida Juracy Magalhães que encontrarão com a ACM", disse."Estamos próximos de assinar o contrato do BRT. Nós, inclusive, com o BRT vamos ter o coroamento dessa facilitação de mobilidade na região, porque serão construídos dois grandes complexos de viadutos, que aí sim vão mudar definitivamente o trânsito da região", disse o prefeito.Faz parte do projeto de requalificação da ACM a construção de duas novas passarelas - uma em presente ao Shopping Paseo Itaigara e outra próxima ao posto Namorados, além da complementação de uma terceira passarela já existente, em frente ao Pituba Parque Center. Segundo Muller, serão acrescentados nesta terceira passarela dois "braços" que levarão às pistas marginais.A via marginal no sentido orla será contínua, desde o Parque da Cidade até as imediações do Hotel Fiesta, para dar maior fluidez ao trânsito. Também haverá uma mudança no retorno em frente ao acesso ao Alto do Itaigara, que mudará de sentido: com a mudança, ele será usado por quem sai do bairro.Segundo Fabrizzio, também será criado um estacionamento com 50 vagas em frente ao restaurante mexicano Tijuana. Todo o trecho a ser requalificado ganhará nova sinalização horizontal e vertical, ainda. "Mas o mais importante é a implantação da semaforização inteligente, com fibra ótica desde o Parque da Cidade até a Avenida Otávio Mangabeira. Isso trará retorno imediato à fluidez e destaco como um dos pontos mais importantes", aponta Fabrizzio Muller.Praça Silvio Valente
O projeto da Praça Silvio Valente, que margeia a rua de mesmo nome, foi construído pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) em parceria com moradores. O espaço, de 7 mil m², terá uma quadra poliesportiva, um pequeno espaço para apresentações artísticas, quiosques, academia ao ar livre e uma área para crianças, com brinquedos, uma mini ciclovia e espaço para patinação."A gente projetou em função das demandas dos moradores aqui do Itaigara, que estavam muito bem representados, tínhamos em torno de 12 representantes, que estiveram conosco na Fundação em várias reuniões discutindo as demandas. Tem outra coisa muito importante que é a preservação de todas as árvores daqui. Nós georreferenciamos todas elas para que nenhuma seja retirada", disse a presidente da FMLF, Tânia Scofield.Presidente da Associação dos Moradores do Itaigara (AMI), Aurelino Santana disse que a praça é uma reivindicação de 11 anos por parte dos moradores. "Eu moro aqui há 36 anos e há 11 anos nós estamos lutando pela construção dessa praça. Encaminhamos uma solicitação ao ex-prefeito João Henrique, que disse que ia fazer, mas não saiu. Há seis anos, criamos a associação é fomos à Fundação Mário Leal, onde conversamos com Tânia e chegamos ao projeto", disse.De acordo com Tânia Scofield, a praça custará cerca de R$ 2 milhões - do total de R$ 34 milhões do contrato total de requalificação. A obra será executada pela empresa BSM Engenharia, contratada pela Petros. Haverá supervisão por parte da Prefeitura de Salvador.
Correio24horas