Salvador

Avenida ACM terá velocidade reduzida a partir do dia 1º de agosto

Medida acompanha série de mudanças na região por causa do início das obras do BRT

Redação iBahia

A partir do dia 1º de agosto,  o trecho entre as proximidades da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e a Comercial Ramos, na Avenida ACM, no sentido Cidade Jardim, irá passar por alterações que afetam principalmente a circulação de pedestres.

Para quem circula de carro, as mudanças serão pequenas: o fechamento da entrada e saída da pista marginal após o retorno da Polêmica e a redução da velocidade máxima em trechos pontuais de acesso de veículos pesados à área de obras.  Anteriormente, a velocidade máxima permitida era de 60 km/h (marginal) e R$ 70 km/h  e vai passar para 40 km/h.

Superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller esclarece que essa redução da velocidade é comum em trechos em obras onde há circulação e acesso de veículos pesados a canteiros. Isso é fundamental para evitar acidentes e não significa aumento de congestionamento.  

OBRAS DO BRT AFETARÃO PONTOS DE ÔNIBUS E FLUXO DE PEDESTRES; CONFIRA MUDANÇAS


"Não vai haver alteração no fluxo viário em função das obras, nem redução do número de faixas. Ou seja, praticamente não haverá maiores transtornos para os motoristas. A redução do limite de velocidade, que hoje é de 60km/h na marginal e 70km/h na principal, é apenas para garantir a segurança de todos. Essa redução será em locais pontuais, em locais de acesso e saída de veículos pesados ao canteiro, e não ao longo de toda a via", explica.

Fabrizzio Muller ressalta que a redução de velocidade é necessária para garantir não apenas a segurança dos motoristas, mas também de pedestres e trabalhadores das obras do BRT que estarão circulando nesse trecho da Avenida ACM e na pista marginal.

"Trata-se de uma obra de grande porte, com a construção de viadutos, elevados e implantação de corredores exclusivos de tráfego. Essa redução de velocidade para 40km/h aconteceu também nas obras do metrô, em vários pontos da cidade, e é absolutamente normal. Claro que esperamos algum tipo de transtorno, principalmente para o pedestre, mas o BRT vai resolver antigos problemas de mobilidade nessa que é a região mais movimentada de Salvador".