Salvador

Babalorixá relata intolerância religiosa de vizinhos em Salvador: 'farsa'

Além de ofensa ao candomblé, suspeitos teriam chamado grupo de 'favelados'

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma denúncia de intolerância religiosa foi feita por candomblecistas de Salvador, que realizam rituais religiosos em um imóvel no bairro do Rio Vermelho. Um casal vizinho ao local teria chamado o candomblé de farsa e feito ofensas aos religiosos, em discussão que aconteceu. As informações são do G1 Bahia.

"Chamou a gente de favelado, que se ela viesse aqui na porta a gente poderia matar ela e chamou o candomblé de farsa. Foi a parte que mais doeu na gente, ter chamado nossa religião de farsa. Nós somos povo de santo, estamos atrás da paz, temos a bandeira branca simbolizando a paz", contou ao G1 o babalorixá Luciano Gomes.

Os vizinhos teriam dito que eles gritavam como "bruxa". O casal se defendeu e negou preconceito. "Tenho vídeos do pessoal atuando, recebendo, incorporando. Com todo respeito, mas aqui não é lugar de fazer isso. Eu acredito que o terreiro existe em um lugar determinado assim como a gente, por exemplo, não pode colocar uma loja na minha casa porque a prefeitura não permite", disse o casal Beta e Alex Lemos ao G1.

O caso foi registrado como crime de intolerância religiosa pelos religiosos.