Salvador

Baiana é vítima de racismo em academia de Salvador: 'Devia estar na senzala'

Juliana foi chamada a depor na segunda-feira (4). Nesta terça-feira (5), a agressora deve depor

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A designer Juliana Passos, de 26 anos, alega ter sido vítima de racismo na academia que frequenta, na Cidade Baixa, em Salvador. De acordo com o relato da jovem, em entrevista ao EXTRA, ela praticava exercícios no local quando teria sido interpelada por uma senhora, já conhecida por outros alunos do estabelecimento pela fama de ter um temperamento difícil.



"Ela queria revezar o aparelho. Então, expliquei a ela que minha série não permitia interrupções. Ela começou a gritar e me xingar, dizendo que eu nem deveria estar ali, que deveria estar numa senzala. Arrumei minhas coisas, cheguei em casa e fui até a delegacia com minha mãe", afirma a jovem que registrou o caso na 3ª DT (Delegacia Territorial).


O caso aconteceu no dia 25 de novembro.


Juliana foi chamada a depor na segunda-feira (4). Nesta terça-feira (5), a agressora, cuja identidade é mantida em sigilo pela vítima, por precaução,deve prestar depoimento. As informações são do EXTRA.