Salvador

Bruno Reis afirma que máscara só deixará de ser obrigatória com 100% da população vacinada

Antes de cogitar tirar a obrigatoriedade da máscara, prefeito de Salvador afirma que todo público-alvo precisa tomar primeira, segunda e terceira dose

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, disse que não pretende abandonar o uso obrigatório de máscaras tão cedo. Apenas com o avanço da vacinação que essa questão será considerada, comentou o prefeito Bruno Reis nesta quinta-feira (11). 

"Não cogito tirar a máscara enquanto não tiver 100% do público-alvo vacinado. Quando vacinarmos todo mundo com primeira, segunda e terceira dose, aí sim podemos cogitar em tirar a máscara", disse o prefeito.

O prefeito se posicionou contra a retirada do uso obrigatório da proteção facial em ambientes públicos. "Sou contra retirada de máscaras em ambientes públicos. Eu uso máscara, todos próximos a mim eu peço que usem máscaras para preservar as vidas", disse. Ele também alertou que a máscara é a melhor forma para diminuir a transmissão do vírus.

"A vacina é para evitar que as pessoas morram, mas não impede que elas fiquem doentes. A gente vê que as mortes estão em queda, mas o número de casos está estável. Tem dias que a gente não tem óbitos em Salvador, só confirmações de dias anteriores", disse.

Além disso, Bruno Reis disse o uso obrigatório da máscara deve ser uma das últimas medidas a ser flexibilizada. "Por que tirar a máscara agora se posso flexibilizar outras medidas antes?".