Salvador

Caso Kátia Vargas: TJ-BA adia decisão do recurso que poderia anular júri popular

Médica foi absolvida em julgamento que aconteceu em dezembro de 2017

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O julgamento do recurso que poderia anular o júri popular que inocentou Kátia Vargas foi adiado pela 2° Turma da 2° Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) na tarde desta quinta-feira (02). As informações são do portal G1 Bahia.

A médica foi acusada de ter jogado o carro contra os irmãos Emanuele e Emanuel Gomes Dias, de 22 e 23 anos, que estavam em uma moto. O choque, que teria ocorrido em alta velocidade, ocasionou na morte dos jovens. O caso aconteceu no bairro de Ondina, em outubro de 2013. No dia 06 de dezembro de 2017, Kátia Vargas foi absolvida em um júri popular.

De acordo com o G1 Bahia, um dos cinco desembargadores que estavam julgando o recurso, Mário Alberto Hirs, pediu vistas e alegou a necessidade de analisar os autos por mais tempo. Ele foi o último a votar e antes dele o relator José Alfredo Cerqueira e o revisor João Bosco de Oliveira Freitas votaram a favor do recurso, emitido pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), que solicitava a anulação do júri popular.

Com isto, o julgamento do recurso poderá ser retomado no dia 16 de agosto, quando o relator do caso retornar de uma licença.


Ainda segundo o G1, o MP-BA e acusação utilizaram de dois argumentos para solilcitar a anulação: um deles é o fato da defesa de Kátia Vargas ter utilizado como testemunha um perito contatado pela ré. O outro se dá por causa do resultado do júri ser oposto aos laudos periciais realizados pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) da Bahia.