Salvador

Ciúme de ex-namorada teria sido motivo da briga em Ondina, dizem testemunhas

De acordo com a apuração do CORREIO, cinco pessoas que presenciaram o crime foram ouvidas pela polícia nesta quinta (4)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O ciúme de ex-namorada teria sido o principal motivo da briga generalizada que aconteceu em Ondina, após a exibição do jogo do Brasil, na madrugada desta quarta (3), disseram cinco testemunhas que foram ouvidas pela polícia nesta quinta (4).  Cayan Lima Silva Santana, 19 anos, foi agredido durante a briga e está internado na unidade semi-intensiva do Hospital do Exército. As informações são do CORREIO.

Foto: Reprodução

Ouvidos pela delegada Maria Lúcia Jansen, titular da 7ª Delegacia (Rio Vermelho) e responsável pela investigação do caso, eles contatam a briga teria começa porque um dos amigos de Cayan havia se envolvido com a ex-namorada de um dos suspeitos de terem agredido o jovem.

De acordo com o pai do estudante de direito, o jovem sofreu traumatismo craniano, possui um edema cerebral e lesões no baço e pulmão.

Ao CORREIO, os advogados da vítima, que acompanharam a série de depoimentos das testemunhas, afirmaram que a versão de que Cayan continuou sendo espancado após ter caído no chão foi confirmada pelas testemunhas.
Foto: Reprodução/Facebook
“As testemunhas confirmaram a versão de que houve uma agressão covarde contra Cayan. Um sujeito o levou ao chão com um golpe e, quando o mesmo já estava desacordado, desferiu vários chutes contra a cabeça dele, numa atitude covarde. A descrição dos depoimentos é muito fidedigna ao que se vê no vídeo que está circulando”, afirmou Kaio Abreu, um dos advogados do jovem agredido.

O vídeo do qual no advogado se refere foi publicado pelo pai de Cayan, o advogado Ary Santana, em uma sua página no Facebook. As imagens, que tem duração de 33 segundos, mostram o exato momento em que o jovem é agredido, cai no chão e, mesmo desacordado, continua sofrendo uma série de agressões (veja abaixo).

 



Caso
De acordo com o pai do estudante de Direito, o advogado Ary Santana, o jovem estava em uma festa que estava sendo realizada na Área Verde do Othon e, no local, houve uma discussão entre os amigos do estudante de Direito e dois homens, mas a briga foi apaziguada.


Ainda segundo o relato de Ary, Após o jogo do Brasil x Argentina, que foi transmitido no local, ele estava indo para casa quando foi surpreendido por estes dois rapazes que proferiram diversas agressões, como socos e pontapés.
Foto: Reprodução
O jovem foi atendido por uma equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu) e foi encaminhado para o HGE com lesões na face e no pulmão. De acordo com Ary Santana, a vítima foi encaminhada na tarde desta quarta (3) para o Hospital do Exército e continua desacordado. Ele foi levado para esta unidade de saúde, pois ele pertence ao  Núcleo Preparatório Oficiais da Reserva (NPOR) do Exército Brasileiro.

De acordo com pai de Cayan, o rapaz continua internado, inconsciente, diagnosticado com traumatismo craniano. Em entrevista à TV, Ary afirmou que o filho sofreu uma tentativa de homicídio.

"Meu filho sofreu um soco, ficou desmaiado no chão e aqueles indivíduos pisotearam a cabeça dele e chutaram a cabeça dele”, relatou o pai da vítima.

Posicionamento da festa

Em nota enviada à imprensa, a festa Hype afirmou que a agressão ao jovem ocorreu fora das dependências do evento. Porém, no espaço da realização da festa, houve um desentendimento, mas a equipe de segurança controlou o ocorrido.

Confira a nota na íntegra:
A produção da festa Hype, que aconteceu no feriado de 2 de julho (terça-feira), na Área Verde do Othon, em Ondina, esclarece que a agressão ao jovem Cayan Santana por outros dois rapazes não aconteceu nas dependências do evento.

Houve um desentendimento entre os envolvidos no espaço de realização da festa. Contudo, não houve agressão física, pois a equipe de segurança contratada os conteve, alertando que outras eventuais medidas seriam tomadas. Assim, durante todo o evento, houve controle da situação.

Ocorre que, após o término da realização do evento, com os envolvidos já em via pública, inclusive no lado oposto ao do estabelecimento onde se desenvolveu o evento, aconteceram os atos de violência contra o jovem, atos aos quais os realizadores do evento são totalmente contrários.

A produção reforça que atendia a todos os requisitos legais exigidos, incluindo alvará expedido pela Secretaria Municipal de Urbanismo (SUCOM). A festa Hype lamenta o ocorrido e, apesar do incidente ter ocorrido em via pública, se coloca à disposição das autoridades para todo e qualquer esclarecimento, bem como se solidariza com o jovem e sua família.