Salvador

Comerciante que matou servidora do Detran permanece em estado grave no HGE

Jailson está internado na UTI; vítima foi sepultada na manhã desta quarta-feira (27)

Nilson Marinho, do Correio 24h (lidenilson.araujo@redebahia.com.br)
- Atualizada em

O comerciante Jailson Santos Mendonça, 46 anos, suspeito de esfaquear e matar a ex-companheira, a servidora do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA), Maridalva da Silva Mendonça, 46, na manhã desta terça-feira (26), permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral do Estado (HGE). Após cometer o crime, ele foi encaminhado para a unidade médica por ingerir veneno para matar ratos.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado do posto da Polícia Civil do HGE, após cometer o crime e ingerir o veneno, Jailson foi socorrido por uma ambulância do Serviço da Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado em estado grave para unidade de saúde onde está custodiado.

Ele deu entrada no local às 9h30, um horas depois da vítima ter sido atacada dentro da sede do orgão, na principal escadaria de acesso, por volta das 8h30. Embora a assessoria da Secretária Estadual da Saúde da Bahia (Sesab) não confirme o estado de saúde do comerciante, o CORREIO apurou que Jailson está na UTI, em estado considerado grave pelos médicos.

O corpo de Maridalva foi enterrado na manhã desta quarta-feira (27) na cidade de Governador Mangabeira, no Recôncavo baiano. Segundo a asessoria de comunicação do Detran, um ônibus foi disponibilizado pelo órgão para que colegas de trabalho de Maridalva fossem até a cidade de Governador Mangabeira. O veículo saiu de Salvador às 8h. O sepultamento estava marcado para acontecer às 11h. 

Caso

Maridalva foi atingida por golpes de faca nas costas, tórax e pescoço enquanto chegava ao trabalho na companhia de Jailson. Em depoimento prestado à polícia, no HGE, o agressor relatou que morou com a vítima durante dois anos em Muritiba, mas que há dois meses estavam separados. O motivo do fim do relacionamento seriam as brigas motivadas por ciúmes de ambas as partes. Para polícia, ele premeditou o crime.

Foto: Reprodução

Antes de deferir os golpes contra a ex-companheira, Jailson abriu uma maleta, tirou uma faca, e passou a golpear a vítima. Seguranças do Detran levaram o comerciante para a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV), onde os policiais o encaminharam para o HGE. Ainda em depoimento, Jaílson afirma que levou a maleta porque estava fazendo reparos em um imóvel que o casal teria alugado e seria devolvido ao proprietário. 

Com ele, foi encontrado também um bilhete, escrito em um pedaço de folha de caderno, que dizia: “Veja o que vocês fizeram no Natal. Mudou. Tudo era diferente. Estava tudo bem [entre] eu e Mari”. A mensagem foi destinada para Davi, Antônio, Gegeu e Andreia, nomes que não foram identificados ou confirmados com os familiares.

Foto: Almiro Lopes / Correio

De acordo com a delegada Cristina Portugal, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o casal estava junto há cerca de um ano, mas a família da servidora não aprovava a união. O irmão de Marivalda contou que o casal se separou há um mês, quando diversas ameaças foram proferidas por Jailson à servidora.

Levantamento

Maridalva é a 41ª vítima de feminicídio na Bahia, de acordo com levantamento realizado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres. Até a última terça-feira (19), eram 39 assassinatos de mulheres. O 40º aconteceu na quinta-feira (21), quando a professora Cecília Crispim foi morta a tiros pelo ex-marido na frente do filho do casal, de apenas 8 anos, em Valença, Baixo sul do estado.  O CORREIO fez um levantamento, no entanto, com 35 assassinatos de mulheres. 

Veja onde buscar ajuda em casos de violência doméstica:

Cedap (Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa) – Atendimento médico, odontológico, farmacêutico e psicossocial a pessoas vivendo com HIV/AIDS. Endereço: Rua Comendador José Alves Ferreira, nº240 – Fazenda Garcia. Telefone: 3116-8888. 

Cedeca (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan) – Oferece atendimento jurídico e psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência. Endereço: Rua Gregório de Matos, nº 51, 2º andar – Pelourinho. Telefone: 3321-1543/5196. 

Cras (Centro de Referência de Assistência Social) – Atende famílias em situação de vulnerabilidade social. Telefone: 3115-9917 (Coordenação estadual) e 3202-2300 (Coordenação municipal) 

Creas (Centro de Referência Especializada de Assistência Social) – Atende pessoas em situação de violência ou de violação de direitos. Telefone: 3115-1568 (Coordenação Estadual) e 3176-4754 (Coordenação Municipal) 

Creasi (Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso) – Oferece atendimento psicoterapêutico e de reabilitação a idosos. Endereço: Avenida ACM, s/n, Centro de Atenção à Saúde (Cas), Edifício Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto – Iguatemi. Telefone: 3270-5730/5750. 

CRLV (Centro de Referência Loreta Valadares) – Promove atenção à mulher em situação de violenta, com atendimento jurídico, psicológico e social. Endereço: Praça Almirante Coelho Neto, nº1 – Barris, em frente a Delegacia do Idoso. Telefone: 3235-4268. 

Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) – Em Salvador, são duas: uma em Brotas, outra em Periperi. São delegacias que recebem denúncias de violência contra a mulher, a partir da Lei Marinha da Penha. 

Deam Brotas – Rua Padre José Filgueiras, s/n – Engenho Velho de Brotas. Telefone: 3116-7000. 

Deam Periperi – Rua Doutor José de Almeida, Praça do Sol, s/n – Periperi. Telefone: 3117-8217. 

Deati (Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso) – Responsável por apurar denúncias de violência contra pessoas idosas. Endereço: Rua do Salete, nº 19 – Barris. Telefone: 3117-6080. 

Derca (Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente) - Endereço: Rua Agripino Dórea, nº26 – Pitangueiras de Brotas. Telefone: 3116-2153. 

Delegacias Territoriais – São as delegacias de cada Área Integrada de Segurança Pública. Segundo a Polícia Civil, os estupros que não são cometidos em contextos domésticos devem ser registrados nessas unidades. Em Salvador, existem 16 (http://www.policiacivil.ba.gov.br/capital.html). 

Disque Denúncia – Serviços de denúncia que funcionam 24 horas por dia. No caso de crianças e adolescentes, o Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos oferece o Disque 100. Já as mulheres são atendidas pelo Disque 180, da Secretaria de Políticas Para Mulheres da Presidência da República. Fundação Cidade Mãe – Órgão municipal, presta assistência a crianças em situação de risco. Endereço: Rua Prof. Aloísio de Carvalho – Engenho Velho de Brotas. 

Gedem (Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia) – Atua na proteção e na defesa dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Endereço: Avenida Joana Angélica, nº 1312, sala 309 – Nazaré. Telefone: 3103-6407/6406/6424. 

Iperba (Instituto de Perinatologia da Bahia) – Maternidade localizada em Salvador que é referência no serviço de aborto legal no estado. Endereço: Rua Teixeira Barros, nº 72 – Brotas. Telefone: 3116-5215/5216. 

Nudem (Núcleo Especializado na Defesa das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar da Defensoria Pública do Estado) – Atendimento especializado para orientação jurídica, interposição e acompanhamento de medidas de proteção à mulher. Endereço: Rua Pedro Lessa, nº123 – Canela. Telefone: 3117-6935. 

Secretaria Estadual de Políticas Para Mulheres Endereço - Alameda dos Eucaliptos, nº 137 – Caminho das Árvores. Telefone: 3117-2815/2816. 

SPMJ (Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude) – Endereço: Avenida Joana Angélica, Edifício Fernando José Rocha, nº 399, 6º andar, Nazaré. Telefone: 3202 7300. 

Serviço Viver – Serviço de atenção a pessoas em situação de violência sexual. Oferece atendimento social, médico, psicológico e acompanhamento jurídico às vítimas de violência sexual e às famílias. Endereço: Avenida Centenário, s/n, térreo do prédio do Instituto Médico Legal (IML) Telefone: 3117-6700. 

1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar – Unidade judiciária especializada no julgamento dos processos envolvendo situações de violência doméstica e familiar contra a mulher, de acordo com a Lei Maria da Penha. Endereço: Rua Conselheiro Spínola, nº 77 – Barris. Telefone: 3328-1195/3329-5038.