Salvador

Conferência reúne crespas, comunicadores e grafiteiros na capital

O evento, que é aberto ao público, pretende ampliar o diálogo da juventude negra soteropolitana

Redação iBahia (agenda@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Com o intuito de dialogar com jovens estudantes e moradores de periferia, a Conferência Livre de Juventude de Crespas, Turbantadas, Comunicadores e Grafiteiros, realizada pelo Coletivo Nacional de Juventude Negra (Enegrecer), acontecerá no dia 20 de setembro (domingo), a partir de 13h, no Cine Teatro Solar Boa Vista, espaço cultural administrado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).O evento, que é aberto ao público, pretende ampliar o diálogo da juventude negra soteropolitana, a partir das demandas da sociedade civil, da participação do coletivo e outros grupos militantes, além do poder público, para a construção de políticas públicas cada vez mais horizontais.Para a coordenadora do Cine Teatro Solar Boa Vista, Simone Braz, “receber organizações juvenis para debater política é provocar os jovens do Engenho Velho de Brotas sobre o seu papel social e importância da sua inserção na política. É também mostrar a potência da juventude unida e organizada em prol de melhorias para sua comunidade, território, estado e país”.Nesta etapa, os participantes discutirão sobre os desafios da juventude negra, tendo como base os eixos: Diversidade e Igualdade, Direito a Comunicação, além do debate sobre Racismo e Igualdade e a democratização das mídias. Após as conferências, acontecerá um debate com a Secretaria Nacional de Juventude, sobre o Lúdico e a Identidade na disputa das Cidades.As conferências livres estão acontecendo desde maio deste ano em diversos estados, com o objetivo de construir propostas para serem discutidas na 3ª Conferência Nacional de Juventude, que acontecerá em dezembro, em Brasília, com a proposta de dialogar com a diversidade da juventude tendo como principal tema As várias formas de mudar o Brasil.“Nós, como militantes ativos do Movimento Negro e integrantes do Coletivo Nacional de Juventude Negra, entendemos a importância de propor diálogos com a população antes da 3ª Conferência Nacional de Juventude, um espaço de diálogo a nível nacional, entre o poder público e a sociedade civil. Onde os desafios da construção de políticas públicas para o segmento juvenil e as alternativas que devem ser adotadas pelo governo de forma a contemplar a juventude, principalmente a juventude negra, pobre e de periferia, que possui um déficit grande em termos de participação política”, ressalta Samira Soares, integrante do Coletivo Enegrecer.