Salvador

Construção que desabou e matou criança em Pituaçu era irregular, diz Defesa Civil

Engenheiros avaliam construções ao lado do imóvel

Redação Correio 24h (redacao@correio24horas.com.br)

O diretor da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macedo, afirmou na manhã desta terça-feira (13) que o imóvel de quatro pavimentos que desabou Rua Alto de São João, em Pituaçu, foi feita de forma irregular. No desabamento, uma criança morreu e ainda há três pessoas soterradas.

Foto: Mauro Akin Nassor
"Esse não é um local de escorregamento de terra. Trata-se de uma construção irregular. Ou seja, há um risco construtivo. Pelo que a gente apurou era uma edificação de quatro pavimentos: sóton, térreo, primeiro andar e cobertura. Isso certamente pode ter pesado nesse período de chuvas e ter aconteceu esse desabamento", afirma.

Nas últimas 12 horas choveu metade do previsto para todo mês de março. "Chegamos a 108 mm na região de Plataforma. Isso gera um sobrecarregamento nos taludes e em construções irregulares. Percebemos que as construções são realizadas sem a técnica devida, o que gera essa sobrecarga da peso. Nossa equipe está fazendo avaliação para verificar se outros imóveis correm risco de desabamento", destacou Sosthenes.

Juliana Portela, diretora da proteção do social  da Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza. (Semps), afirmou que as pessoas que moram ao lado do prédio podem ser avacuadas para outras áreas caso a defesa Civil identifique a necessidade.

"Nesse caso, elas recebem um auxílio moradia no valor de R$300. Os vizinhos também vão ser evacuados e de acordo com a avalições dos engenheiros serão incluidos no auxilio moraria", afirmou Portela.

Equipes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo e da Limpurb estão no local.