Salvador

Corpo de menino morto em Itapuã é identificado e aguarda família no IML

Resultado de DNA comprovou a identidade de Marcos Vinicius de Carvalho dos Santos

Amanda Palma (amanda.palma@redebahia.com.br)
- Atualizada em

O resultado do exame de DNA que comprova a identidade do garoto Marcos Vinícius de Carvalho dos Santos, 2 anos, encontrado morto após ser enterrado pelo padrinho, saiu nesta quarta-feira (26). Segundo informações do Departamento de Polícia Técnica (DPT), o corpo do garoto já está identificado e aguarda a liberação da família para o sepultamento.Como o garoto não tinha carteira de identidade e a certidão de nascimento não poderia identificá-lo, ele precisou ser submetido a um exame de DNA. O corpo de Marcos Vinicius foi encontrado em estado de decomposição, em um areal próximo à Alameda Afrânio Coutinho, em Itapuã, mesmo bairro onde ele morava com Rafael Pinheiro, que se apresentava como padrinho da criança.

Marcos Vinícius foi enterrado pelo cabeleireiro Rafael Pinheiro (Reprodução/Facebook)

Ele confessou envolvimento no caso após se apresentar na delegacia do bairro  acompanhado do advogado. Ainda de acordo com o major, Rafael teria se mostrado arrependido e levou a polícia ao corpo."Fiquei com medo de me culparem pela morte do menino, como está acontecendo agora. Estou arrependido", disse Rafael em entrevista ao CORREIO.O cabeleireiro fez uma campanha para encontrar o garoto e chegou a procurar a polícia para registrar o desaparecimento. Rafael compartilhou em seu perfil no Facebook uma página para reunir informações sobre o caso. A página foi curtida mais de 10 mil vezes.Na manhã de hoje, uma postagem falava do medo com a pressão para que o caso fosse logo resolvido. "Ainda não temos nenhuma noticia... A policia esta pressionada a encerrar logo esse caso... Para que isso aconteça vão ter que achar o culpado, o medo é da policia ser injusta", diz o texto.LEMBRE TODA A CRONOLOGIA DO CASO MARCOS VINÍCIUS1. Quinta-feira (13)  Marcos Vinícius morre, segundo versão de Rafael, que cuidava da criança, depois ingerir mingau com leite de soja.  Ainda segundo o próprio cabeleireiro, ele coloca o corpo do garoto em um cooler e aguarda amanhecer.2. Sexta-feira (14)  Rafael pega o cooler com o corpo do afilhado e caminha de Nova Brasília de Itapuã até a Alameda Afrânio Coutinho, onde deixa o corpo em um areal, atrás do Tchê Caranguejo. Inventa a história de sequestro e dá queixa.3. Sábado (15)  Rafael acompanha a mãe de Marcos Vinícius, a garçonete Fabiana Carvalho, 18, até a Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP) para relatar o desaparecimento. Conta versão sobre casal em Corolla e dá entrevista à imprensa.4. Domingo (16) Amigos e familiares de Marcos Vinícius fazem passeata em Itapuã, pedindo ajuda para localizar o menino. Rafael participa da manifestação e cria página no Facebook para ajudar nas buscas. Polícia já sabe que ele está mentindo.5. Quarta-feira (19) Rafael comparece, acompanhado de advogado, na 12ª Delegacia (Itapuã) para ser ouvido novamente. Ele confessa o crime e alega morte acidental. Ele leva os investigadores até o local onde deixou o corpo e é preso em flagrante.

Correio24horas