Salvador

Defesa Civil registra 11 ocorrências na madrugada deste sábado (21)

Não há registro de fatos com gravidade

Redação Correio 24 horas

Durante a madrugada chuvosa deste sábado (21), em Salvador, a  Defesa Civil de Salvador (Codesal) registrou 11 ocorrências até 8h. Foram um alagamento de imóvel, uma ameaça de desabamento de imóvel, três ameaças de deslizamento de terra, três ameaças de queda de árvore, uma avaliação de imóvel alagado e dois deslizamentos de terra. Não há registro de feridos.

(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Na sexta-feira (20) a Codesal acionou o sistema de alerta e alarme de deslizamento de terra em três comunidades. Por volta das 17h40 de ontem equipamento foi acionado na Rua Mamede, localizada no Alto da Terezinha, no Subúrbio Ferroviário, por ter chovido cerca de 150 mm nas últimas 72 horas na região, limite máximo para que o sistema seja acionado.

Antes, as sirenes localizadas em Marotinho (Bom Juá) e Vila Picasso (São Caetano) soaram pela primeira vez após intensas chuvas que atingiram a capital baiana nas últimas 72 horas. Em Bom Juá, o dispositivo foi acionado por volta das 10h. Na Vila Picasso, o alerta aconteceu às 12h.

Os moradores das três comunidades, que precisam evacuar as casas temporariamente até o tempo melhorar, precisam se dirigir a abrigos montados pela Prefeitura nas escolas municipais Santa Teresina, no Alto da Teresina, Antonio Carlos Magalhães e Professor Carvalho Guedes, as duas em São Caetano. 

Lá, eles estão recebendo  amparo social, através dos agentes da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), da Defesa Civil de Salvador (Codesal) e voluntários, até receberem orientação para retornarem para suas casas com segurança. Para os próximos três dias, a previsão é de chuva, só que mais reduzida.

A equipe técnica, formada por assistentes sociais, psicólogos e educadores sociais, realizou atendimentos na região de São Caetano e efetuou, até 16h de ontem, o cadastro de 28 famílias, que totalizam 90 pessoas (52 adultos e 38 crianças e adolescentes). 

Em Novo Marotinho, na comunidade de Bom Juá, quatro famílias foram cadastradas pela Semps, mas não quiseram se abrigar na Escola Municipal Antônio Carvalho Guedes. No local, serão disponibilizados colchões, lençóis, alimentação e itens de higiene. Já os cidadãos da Rua Mamede serão cadastrados e poderão se dirigir à Escola Municipal Santa Teresina. 

Após o cadastro, a necessidade de recebimento de auxílio-moradia ou auxílio-emergência é verificada pela Semps. O órgão segue de plantão, para realizar os atendimentos e serviços socioassistenciais para a população atingida pelas chuvas na capital baiana.

Salvador possui oito sirenes de alerta em seis áreas de risco de acidentes, consideradas prioritárias por abrigar grande número de moradores que residem próximo a encostas. Em momentos de emergência os equipamentos são acionados diretamente do Centro de Operações da Codesal, através de um moderno sistema de análise climatológica, que dispõe de informações diárias sobre temperatura, clima e índice pluviométrico para a cidade.

O restante das sirenes instaladas está localizado na Baixa de Santa Rita (São Marcos), na Rua Coronel Pedro Ferrão (Baixa do Fiscal), na Rua Nova Divinéia (Calabetão) e Rua Henrique Mamede (Alto da Terezinha). Os alertas acontecem quando há iminência de alagamentos e possíveis deslizamentos, baseados no protocolo do Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC).

O município ainda conta com 38 pluviômetros . Com eles, é possível acompanhar a evolução da chuva em locais determinados através do Centro de Monitoramento e Alerta de Defesa Civil (Cemadec) - local onde especialistas acompanham as condições do tempo e alertas das situações que podem causar risco à população no período chuvoso.

A Codesal permanece com o plantão 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.