Salvador

Duas 'vagas' usadas por ferries serão ampliadas até dezembro

Compartimentos são para embarque e desembarque de embarcações; obra vai custar R$ 9 milhões

Milena Teixeira, do Correio 24h
Dois dos seis compartimentos onde os ferries são acoplados para embarque e desembarque vão ser ampliados a partir do mês de dezembro. Com a reforma, as gavetas, como são chamadas as divisões, vão passar a ter 24 metros de largura, atualmente possuem 18.  A obra é o resultado de uma licitação da Secretaria de Infraestrutura do Estado da Bahia (Seinfra) e vai custar pouco mais de R$ 9 milhões.
Foto: Almiro Lopes
A intervenção vai ocorrer nos terminais de São Joaquim, em Salvador, e Bom Despacho, no município de Itaparica. A ideia é que as vagas reformadas se adaptem às embarcações mais novas - Zumbi dos Palmares e Dorival Caymmi - permitindo que os ferries encaixem em qualquer unidade. A obra será executada pelo Consórcio Beng-Beop, formada pelas empresas Belov Engenharia Ltda e Belov Obras Portuárias Ltda.
De acordo com a assessoria de comunicação da Seinfra, a obra deve tornar o sistema operacional mais eficiente e, além disso, a reforma deve melhorar as condições de acessibilidade e qualidade dos serviços ofertados. 
Segundo a Seinfra, após a obra, o sistema também deve ficar mais ágil, já que embarcações mais novas não precisarão mais aguardar para realizar o embarque e desembarque. No último feriadão, na Semana Santa, passageiros enfrentaram filas no serviço por mais de três horas. 
Ainda de acordo com a secretaria, a reforma não vai alterar ou comprometer a prestação do serviço de travessia. O resultado da licitação foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), da última quarta-feira (4).
O CORREIO procurou as empresas do consórcio vencedor assim como a Internacional Marítima, que administra o serviço, mas ambas informaram que apenas a Seinfra poderia fornecer detalhes da intervenção. 
Ferries gregos
Os mais novos da frota, os ferries Zumbi dos Palmares e Dorival Caymmi começaram a circular em 2014 na Baía de Todos os Santos, fazendo a travessia entre Salvador e a Ilha de Itaparica. Eles foram comprados por R$ 54,9 milhões pelo governo estadual. 
As embarcações foram fabricadas na Grécia e têm capacidade para transportar, juntos, cerca 3 mil passageiros e aproximadamente 300 veículos. À época, a expectativa era de que os ferries dobrassem o transporte de carros e aumentassem em 75% a de passageiros.
Mais rápidos, os ferries fazem o trajeto entre os terminais de São Joaquim e Bom Despacho em 35 minutos - 10 a menos que as embarcações Ana Nery e Ivete Sangalo. As outras quatro embarcações, mais antigas, podem chegar a mais de uma hora de travessia.
Os ferries viajaram desde 8 de junho de 2014, quando partiram do Porto de Pireus, na Grécia. De lá, foram para a Espanha passar por manutenção e seguiram para Salvador, onde chegaram no dia 18 de agosto.