Salvador

'Ela foi jogada', diz prima de mulher jogada de prédio em Salvador

Médica segue internada; suspeito teve prisão preventiva decretada

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O homem acusado de jogar a médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo do quinto andar de um prédio em Salvador teve a prisão preventiva decretada por tentativa de feminicídio nesta terça-feira (21). Em depoimento à TV Bahia, a prima da vítima desabafou.

“Ela foi arremessada do prédio. Ela foi jogada de um prédio. Ela pedia socorro antes disso. Eles tiveram uma discussão feia. Os vizinhos relatam. Ela pedia socorro. Uma pessoa que pede socorro vai se jogar de um apartamento? Não vai. Ela não faria isso. Ela não fez isso", disse Ariana Lorena.

O laudo da perícia feita no local fica pronto em até dez dias e vai ajudar a esclarecer se Rodolfo Cordeiro Lucas realmente cometeu o crime. O advogado dele disse à TV Bahia que o cliente nega ter empurrado a mulher, e que ela teria tentado agredi-lo e se jogar da janela da sala antes de cair pela janela do quarto.

"Não houve tentativa de feminicídio [...] Houve um ato, no momento talvez, um surto em que ela se arremessou. Ele tentou evitar que ela pulasse. Aliás, além de ter tentado evitar que ela pulasse, ele ainda ficou segurando pelas mãos, mas não aguentou o peso. Outros moradores pediram para que ela não pulasse, para que ela não atentasse contra a própria vida. Desde o primeiro momento está muito bem delineado que nós não estamos diante da prática de um crime. Estamos diante de uma fatalidade", disse Gamil Föppel.

Sáttia Lorena segue internada no Hospital Geral do Estado (HGE) e, segundo a família, em estado gravíssimo.