Salvador

"Ela sumiu dos reggaes do nada", diz amiga de Carlinha do Laço

Carla Nadiele Pimentel, 28 anos, foi encontrada morta com cinco tiros na madrugada de domingo, na Fazenda Grande do Retiro

Vitor Villarpando (vitor.villarpando@correio24horas.com.br)
- Atualizada em
Carla Nadiele da Silva Pimentel, 28 anos, foi encontrada morta com cinco tiros na cabeça por volta das 2h40 de ontem, pela 9ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), na Fazenda Grande do Retiro. De acordo com informações do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), o corpo foi encontrado ao lado de uma caçamba de lixo, na rua Antenor Maia Cardoso, perto da San Martin e do Colégio Modelo. No local, havia sangue e cartuchos de pistola.No bolso da vítima, foi encontrado um pino de cocaína. Ainda segundo a polícia, a suspeita é que traficantes da boca da Diva, que tem como líder um indivíduo conhecido como Seaway, tenham cometido o crime.
Foto: Reprodução/Facebook
Redes sociais Conhecida como Carlinha do Laço - uma das 13 tatuagens que tinha no corpo era um laço rosa na coxa esquerda -, a mulher tinha 16 mil seguidores no Facebook e mais de 43 mil curtidas na Ask.fm, rede social de perguntas e respostas. Nela, usava o perfil ‘kellynhacyclone’. A referência é a Kelly Sales Silva, a Kelly Cyclone, assassinada em 2011.

De acordo com uma amiga que preferiu não ser identificada, Carlinha andava afastada das festas. “Havia algo estranho acontecendo. Ela sumiu dos reggaes do nada”, afirma a mulher, que diz acreditar que o assassinato não tem relação com o tráfico de drogas.

Para ela, o crime foi tramado por vizinhas. “Fiquei sabendo de umas mulheres de Fazenda Grande que tavam armando pra ela e pra outra colega da gente. Tanto que essa outra se mudou logo de lá”, revelou. “Carlinha cheirava (cocaína), mas não era traficante. Uma amiga em comum me mostrou a foto de uma conversa em que Carla dizia que vinha recebendo ameaças e sabia que não passaria desta semana”, comentou a jovem.

Perguntada se sabia do envolvimento de Carlinha com traficantes, desconversou. “O namorado dela, Ítalo, está preso no interior por roubo. Não tem nada a ver com droga”, comentou. Nas redes sociais, Carla dizia que já teve um namorado assassinado. O enterro da jovem ocorreu ontem, às 16h30, no Cemitério Municipal de Plataforma.
Correio24horas