Salvador

Em Salvador, vacina brasileira contra Covid-19 começa a ser testada em humanos

Os testes, que devem durar cerca de um ano, serão feitos apenas na Bahia e terão três fases

Redação iBahia (redacao@ibahia.com)
- Atualizada em

A vacina brasileira contra Covid-19, a RNA MCTI CIMATEC HDT, começou a ser testada em humanos nesta quinta-feira (13), em Salvador. A cerimônia do início do estudo contou com a presença de Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A pasta coordena os estudos do imunizante.

Os testes, que devem durar cerca de um ano, serão feitos apenas na Bahia e terão três fase. 90 voluntários participarão da primeira fase, entre homens e mulheres com idades que variam de 18 a 55 anos. 

Entre os 90 voluntários, estão pessoas que já foram imunizadas contra Covid-19 com até duas doses e pessoas que ainda não receberam nenhum tipo de imunizante. 

Segundo o médico infectologista e professor titular do SENAI CIMATEC, PhD em Imunologia e Doenças Infecciosas, Roberto Badaró, o objetivo principal desta etapa é avaliar a segurança e a reatogenicidade do novo imunizante, ou seja, a capacidade de a vacina gerar reação adversa (ou colateral) local ou sistêmica no organismo. “Serão testadas três diferentes concentrações de dose, verificando-se qual delas se mostrará mais promissora na produção de resposta imune humoral e celular contra o vírus SARS-CoV-2. Além disso, a expectativa é que essa vacina possa proteger contra todas as variantes da Covid-19 existentes, até o momento”, explica.

Uma vez comprovada a segurança na fase I, após as análises estatísticas dos dados, terá início a fase II, com a participação de 400 indivíduos. Da mesma forma, o início da fase III dependerá dos resultados da fase anterior. Para a fase III está previsto o recrutamento de 3.000 a 5.000 participantes. Ao todo, o período de testes vai durar cerca de um ano.