Salvador

Entregas dos Correios no fim de ano devem atrasar dois dias

Empresa já anunciou que entregas do Sedex, Sedex 12 e PAC foram estendidas

Elaine Araújo e Maryanna Nascimento, do Correio 24 Horas

Milhares de baianos terão que celebrar o 25 de dezembro este ano apenas com o espírito do Natal e a ceia em família, porque muitos presentes devem atrasar. Quem comprou pela internet e aguarda a entrega pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios) vai ter que aguardar dois dias a mais além do prazo inicialmente previsto.  Os Correios anunciaram que os limites de entrega em todos os serviços oferecidos pela rede – Sedex, Sedex 12 e PAC – foram acrescidos em dois dias. 

Apesar de grande parte da humanidade já estar acostumada com a realização das festas de final ano, os Correios justificaram o atraso nas entregas por conta da alta nas compras pela internet, além do fluxo tradicional, que aumenta entre o Natal e Réveillon.  E para garantir que os prazos estendidos sejam cumpridos e os consumidores baianos não precisem esperar ainda mais, a empresa anunciou que houve um aumento significativo nos prestadores de serviço que atuam na Agência Central do Correio (AC), na Pituba, em Salvador.

Isso para não frustrar consumidores como o condutor de transporte coletivo Renato Santos, 36 anos, que comprou um presente para dar no Natal, mas que até o momento não chegou. Ele fez a compra em um site no exterior e conta que dez dias depois o produto já havia chegado à AC. “O produto chegou há 36 dias. Tinha prazo de 20 dias para ser entregue e até hoje não foi. Eles disseram no rastreamento que não acham o local da entrega, mas é um espaço comercial conhecido no Cabula. Tudo chega. Não tem como ter erro”, reclamou ele que foi à agência na manhã de ontem. “Vim ver se está aqui”, completou.

Foto: Evandro Veiga/Correio

Gleidson  Barros, 24 anos, e Vanessa Santana, 36 anos, também fizeram compras online. No caso deles, os produtos são para fins comerciais. Gleidison trabalha fazendo intermédio nas compras de produtos pela internet. Ele está aguardando um relógio que seu cliente comprou para presentear a esposa na festa natalina. “Eles disseram que não acharam o endereço, mas sempre compro e chega. Quando liguei, me disseram que ia voltar ao remetente, perguntei se podia retirar na agência e eles disseram que não, mas perguntei a um carteiro na rua onde moro e ele me disse para vim aqui [na AC] que talvez eu conseguisse”, contou ele.  O receio dele é que as demais encomendas que está aguardando atrasem. 

A pedagoga Vanessa está aguardando a chegada de materiais para fabricação de ombrelones e toldos. “Já tivemos prejuízo. Tivemos que indicar o cliente que havia encomendado sombreiros para barracas de praia a um amigo que confecciona o mesmo produto. Perdemos o freguês”, lamentou. De acordo com ela, a compra foi feita no dia 10 de novembro e deveria chegar em sete dias, mas em 21 dias o produto ainda não chegou.

O fotógrafo Valmir Martins,  estava enviando, ontem, um equipamento fotográfico para o município de Encruzilhada, no interior da Bahia. Valmir sempre compra produtos pessoais e para  vender no Mercado Livre. Ele não se considera um empreendedor de e-commerce, mas realiza o intermédio entre produto e clientes há três anos. “Nunca tive problemas com os Correios, tudo que compro ou envio chega no prazo estabelecido”, esclareceu. O fotógrafo disse que seu cliente espera receber o material até o Natal. “O prazo de entrega é de dois dias. Enviei por sedex, então acredito que chegue dentro do prazo”, ratifica com tranquilidade.

Demanda elevada

Os Correios devem entregar cerca de 1,2 milhão de encomendas em dezembro só aqui  na Bahia. O envio de produtos através de Sedex passou dos 255 mil objetos e do PAC, de 413 mil. O acumulado de encomendas até quarta-feira somava um total de 745 mil. Em relação a 2016, a quantidade representa um aumento de  30%. Para atender a demanda, a empresa contratou mão de obra terceirizada e a alocação de maior quantidade de veículos na distribuição. A agência recebe, desde novembro, duas aeronaves extra por semana destinadas ao serviço Sedex, que garante a entrega de produtos em até dois dias (acrescido de mais dois neste período), além de cinco carretas a mais por dia. Normalmente, a empresa recebe cerca de 115 carretas diariamente. 

Os Correios contam ainda com o apoio da área administrativa nos trabalhos preliminares à distribuição e o aumento da jornada de trabalho com pagamento de horas extras de funcionários. “Apesar de nos prepararmos para atender ao máximo no tempo previsto, podem acontecer atrasos”, explica o  gerente regional de Coleta e Distribuição dos Correios na Bahia, José Oliveira dos Santos.  

Solidariedade

Outra realização que colabora para o aumento de demanda é a campanha Papai Noel dos Correios, na qual cartas destinadas ao bom velhinho, escritas por crianças em situação de vulnerabilidade social, são disponibilizadas para que padrinhos possam aderir e presentear a criançada. Carrinho de controle remoto, skate, bicicleta, tablet, smartphone, boneca e até mesmo patins são os mais pedidos. 

Em 2017, foram selecionadas mais de 35 mil cartas destinadas à ação, 40% a mais do que as 25 mil selecionadas no ano passado. Desse total, cerca de 20 mil foram adotadas.  A turismóloga Carolina Mendes, 44, foi ontem entregar os presentes de seus “afilhados”. Ela, junto com amigos e familiares, adotou 36 cartinhas. Carolina falou que a satisfação de atender o desejo dessas crianças não tem preço. Perguntada se não tinha receio que a entrega dos presentes atrasasse e chegassem após o Natal, ela respondeu com um sorriso: “Todo mundo atrasa, por que Papai Noel não pode atrasar? O importante é que chegue”.

*Elaine Araújo integra a 12ª turma do programa Correio de Futuro.