Salvador

'Espertos', semáforos que observam fluxo serão instalados em 88 pontos

Dentro de 120 dias, o sistema controlado por operadores da Transalvador deve dar mais fluidez ao trânsito em até 40%

Clarissa Pacheco (clarissa.pacheco@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Sabe aquele momento em que você tenta atravessar a avenida, junto com uma multidão, e o semáforo demora de abrir para os pedestres mesmo quando estão passando poucos veículos? Ou quando você está transitando de carro por uma via bastante movimentada e, de repente, o sinal fecha, mesmo sem ter ninguém para atravessar? Isso está com os dias contatos em 45 pontos da cidade, entre a rotatória da Praça Dr. João Mangabeira, nos Barris, e a Ligação Iguatemi-Paralela (LIP).

Num prazo de 90 a 120 dias, contados a partir desta semana, um sistema com 88 semáforos inteligentes será implantado neste trecho, e deve melhorar em até 40% o fluxo nas vias contempladas.

“Os semáforos de hoje são ‘burros’”, tachou o superintendente de Trânsito de Salvador, Fabrizzio Muller, que pretende levar o novo sistema à maioria das 478 interseções semafóricas da cidade, que atualmente atendem a uma programação prévia e não são capazes de se adaptar automaticamente às condições de trânsito. “Às vezes, é frequente a gente observar que um semáforo está demorando muito no vermelho enquanto a pista está vazia, ou às vezes eles não entram em sincronia”, exemplificou Muller.
Reprodução Correio*

Tecnologia

Os novos semáforos se adaptam às condições do tráfego e são capazes de alterar o tempo de abertura e fechamento de acordo com a necessidade de cada local e horário. “Esses semáforos inteligentes têm uma tecnologia embarcada, um controlador, que vai controlar o volume de veículos vindos das interseções e conseguir selecionar melhores tempos. Todos os semáforos são interligados por uma grande rede de fibra ótica e farão tudo em sincronia, coordenados, e sempre se adaptando ao fluxo”, explicou Muller.

A região escolhida para a implantação do sistema é considerada uma das mais complicadas da cidade. “É uma área central, um corredor que tem um grande fluxo de veículos. Estudos mostram que você melhora em até 40% o fluxo com esses semáforos inteligentes”, diz o superintendente.

Impacto
A analista de transporte e tráfego e especialista em mobilidade urbana Cristina Aragón elogiou a novidade e disse que o local para instalação é adequado – são mais de 39 mil veículos por dia na região da Avenida ACM e 35 mil na Juracy Magalhães, enquanto a Paralela recebe cerca de 53 mil veículos diariamente. Mas ela acredita que seria benéfico estender os semáforos inteligentes pelo menos até a Rótula do Abacaxi e o Retiro.

“Acho que Salvador já merece ter um sistema desses, porque ainda funciona de uma forma muito artesanal. Isso é bem importante, porque a gente deve ter uma maior eficiência do sistema. A sinaleira vai ficar aberta o tempo necessário que o tráfego pede”, diz Aragón.

Para o engenheiro civil e especialista em trânsito Elmo Felzemburg, a iniciativa trará benefícios para a mobilidade na capital, mas chega com atraso de décadas. “Salvador precisa de uma central de tráfego por área e que todos os semáforos sejam interligados por sistema de computador, porque eles ficariam mais racionais, inclusive para distribuição de fluxo”, apontou.
Cruzamento das avenidas Vasco da Gama e Garibaldi, com acessos ao Lucaia e à Rua Conselheiro Pedro Luís, receberá novo sistema semafórico (Foto: Paulo M. Azevedo/Arquivo CORREIO)
PreparativosO investimento no sistema, neste trecho, será de R$ 12,6 milhões, pagos por shoppings centers como contrapartida pela autorização para cobrança de estacionamento. Apesar do custo elevado, Felzemburg aponta que um sistema assim gera economia de outras formas. “É uma questão de aumentar a eficiência na gestão do tráfego, o que é importante porque pode reduzir os consumos de combustível e ter várias economias no fluxo”, citou.
Reprodução Correio*

Não será necessário contratar pessoal para operar o sistema. Mas o Núcleo de Operação Assistida (NOA), que funciona na Transalvador desde maio de 2015, ganhará uma sala somente para os operadores dos semáforos. Isso porque, mesmo com a tecnologia que carrega os equipamentos, eles não dispensam a operação humana. Os 88 futuros semáforos estarão conectados a uma infovia – uma rede de fibra ótica, que já está sendo instalada. A Transalvador disse que pretende levar o sistema para toda a cidade.

Correio24horas