Salvador

Espetáculo Kindembu abre festival da Concha Nova Acústica na sexta-feira (13)

Na peça, a dança funciona como elemento de ligação cênica, com coreografias de Zebrinha e performances de 12 bailarinos dos blocos afros

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O espetáculo cênico-musical Kindembu vai levar cultura afro para o primeiro dia do 'Festival Eu sou a Concha'. 

No palco, a linguagem e a relevância do Afoxé Filhos de Gandhy, Cortejo Afro, Ilê Aiyê, Malê Debalê e Muzenza, em diálogo criativo com músicos da nova geração, além da participação especial do grupo Olodum. O roteiro é de Elísio Lopes Jr., que também assina a direção geral do evento.



Na peça, a dança funciona como elemento de ligação cênica, com coreografias de Zebrinha e performances de 12 bailarinos dos blocos afros, além de convidados de outras vertentes da dança. Também em diálogo com a música, as artes visuais vão emoldurando o espaço da celebração e explorando as possibilidades cênicas e sonoras. 

No cenário, que tem concepção de Renata Motta, formas e texturas se transformam de acordo com cada momento do show. Projeções do VJ Dexter, a partir do trabalho das estampas dos blocos afros e de fotografias do fotógrafo maranhense Márcio Vasconcelos, interagem com o cenário.

A concepção dos figurinos de músicos, cantores e bailarinos ficou a cargo de Alberto Pitta. Artista visual e presidente do Cortejo Afro, Pitta criou peças exclusivas com o conceito monocromático, enfatizando as formas e os símbolos de cada bloco. Ele explica que os figurinos são a mais justa adequação daquilo que chama de “a estética elegante da gente do povo”. “São batas, saias, calças, túnicas, turbantes, panos da costa, torços e colares, todos com a predominância do branco da paz de Oxalá, entrecortados com simbologias milenares de África, estampadas nos panos dos blocos afros e afoxés e suas representações”, descreve.

Idealizado pela produtora Janela do Mundo em 2013, o espetáculo já teve apresentações em Salvador, no Teatro Castro Alves (2013), e em Brasília, no Teatro da CAIXA (2015). Segundo a diretora da Janela do Mundo, Claudia Lima, cada espetáculo oferece uma experiência diferente com a mudança de artistas e repertório. O objetivo é circular nacionalmente, dialogando com a cena musical contemporânea. “Fizemos isto em Brasília no último ano, dialogando com a cena local do rap, do samba e da música pop, e o resultado foi incrível. A importância dessas entidades e a qualidade do seu trabalho artístico precisam ser apreciadas por todo o Brasil”, completou.

 Veja a progrmação do 'Festival Eu Sou a Concha':

SERVIÇO

13/05/2016 (SEXTA-FEIRA): Evento só para convidados

Maria Bethânia com participação especial de Margareth Menezes

Espetáculo cênico-musical Kindembu – Afoxé Filhos de Gandhy convida Tropical Selvagem, Cortejo Afro convida Márcia Castro, Ilê Aiyê convida Dão, Male Debalê convida Larissa Luz, Muzenza convida Ellen Oléria, além da participação especial do Olodum

Horário: 18h

Local: Concha Acústica do Teatro Castro Alves

PARA CONVIDADOS

14/05/2016 (SÁBADO)

Carlinhos Brown com participação especial de Lazzo Matumbi

BaianaSystem com participação especial de Ney Matogrosso

Horário: 18h

Local: Concha Acústica do Teatro Castro Alves

Ingressos: R$ 60 inteira - R$ 30 meia

15/05/2016 (DOMINGO)

Show de Novos Baianos – “Acabou Chorare” e homenagem a João Gilberto

Horário: 19h

Local: Concha Acústica do Teatro Castro Alves

Ingressos: R$ 60 inteira - R$ 30 meia