Salvador

Feirantes de Itapuã trabalham em nova estrutura garantida pela Semop

Cerca de 200 permissionários dividem uma área de 420 metros quadrados, entre vendedores de hortifruti, carnes, temperos, frutos do mar, roupas e acessórios

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Já está em pleno funcionamento a nova estrutura do Núcleo de Abastecimento, Comércio e Serviços (NACS) de Itapuã. Com espaço renovado para ambulantes e feirantes, a estrutura inclui piso, jardinagem e acessibilidade. Cerca de 200 permissionários dividem uma área de 420 metros quadrados, entre vendedores de hortifruti, carnes, temperos, frutos do mar, roupas e acessórios.

Com investimento de mais de R$ 500 mil, a nova estrutura tem o objetivo de valorizar e oferecer melhores condições de trabalho aos profissionais. Além de garantir mais conforto aos clientes, o NACS também possui lona térmica para os permissionários trabalharem sem se preocupar com chuva ou sol. Durante o período de pandemia, o NACS funciona com horário reduzido, de segunda à sábado, das 7h às 14h. Já aos domingos, de 7h às 12h.

“O NACS de Itapuã oferece uma grande variedade de produtos e atende pessoas de diversos bairros. Entendendo sua importância para a cidade, resolvemos realizar uma requalificação do espaço, que aconteceu em duas fases. A primeira beneficiou o espaço dos feirantes de alimentos. Já na segunda fase, foi o momento de focar nos ambulantes de confecções e serviços diversos”, explica o titular da Semop, Marcus Passos.

“Estamos empreendendo todos os esforços para a melhoria contínua das feiras e mercados municipais, a fim de proporcionar mais conforto e uma melhor infraestrutura para a população que frequenta esses espaços”, acrescenta o secretário.

Intervenção aprovada
Geralda Inácia, 54 anos, que trabalha como feirante no local há 18 anos, aprovou a nova estrutura do NACS de Itapuã. “Essa reforma fez uma diferença enorme. A gente consegue perceber a diferença na estrutura e ainda é possível atrair o cliente com a nova fachada”, diz.

Ao lado da sua barraca de temperos e bem atento aos cuidados por conta do coronavírus, João Vitorino, conhecido entre os feirantes como “nosso amigo”, de 69 anos, relata que sentiu impacto nas vendas devido ao covid-19. “Esperamos que com a nova estrutura e melhoria possamos conseguir vender mais durante esse período. As vendas caíram, mas não podemos desanimar”, afirma.