Salvador

Funcionários envolvidos em vazamento de vídeo de Kelly Cyclone no IML são afastados

Nos próximos dias, o advogado da família deverá ter acesso ao resultado da sindicância e pretende ingressar com ação indenizatória por danos morais

Redação CORREIO (redacao@correio24horas.com.br)
- Atualizada em
Imagem do corpo publicada na internet

O secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, recebeu em seu gabinete, ontem à tarde, parentes e o advogado da família de Kelly Sales Silva, a Kelly Cyclone, para conversar sobre o andamento das investigações do assassinato e do vazamento de um vídeo de um minuto e 56 segundos, que  mostrava o corpo da jovem no Instituto Médico-Legal Nina Rodrigues.


Após uma hora de reunião, a mãe de Kelly, Maria Aparecida da Silva, deixou a sede da SSP, mostrando-se satisfeita com as informações fornecidas pelo secretário. “A conversa foi muito positiva. Agora sabemos que tudo isso está na reta final. Dá um alívio muito grande”, afirmou. A irmã de Kelly, Karla Sales, completou: “O que deixou a gente feliz assim foi a descoberta do vazamento do vídeo e, principalmente, de quem matou a minha irmã. A tristeza não passa, mas agora posso sonhar um pouco com Kelly”, emendou.



De acordo com o advogado da família, Rosalvo Teixeira, os nomes dos dois funcionários do IML envolvidos no vazamento do vídeo não foram divulgados pelo secretário. “Só sabemos que os responsáveis foram afastados. Um era funcionário do Reda (Regime Especial de Direito Administrativo) e o outro era empregado de uma empresa de serviços gerais terceirizada”, ressaltou Teixeira. Nos próximos dias, ele deverá ter acesso ao resultado da sindicância e pretende ingressar com ação indenizatória por danos morais contra o Estado. “Vou pegar o relatório com detalhes da sindicância para robustecer a ação. O valor da indenização será arbitrado pelo juiz”, lembrou o advogado.


Sobre o assassinato, segundo Teixeira, o secretário afirmou que as investigações estão em fase final. “Ele (o secretário) disse que brevemente dará a resposta sobre o caso. Além disso, ele pediu desculpas pelo vazamento do vídeo, disse ter profundo pesar e desejou força à mãe de Kelly”, contou. Kelly Cyclone foi assassinada a facada e tiros no dia 18 de julho, no centro de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador. A família da jovem chegou a defender a tese de que três homens apaixonados por ela teriam tramado a sua morte.