Salvador

Gata é resgatada de escombros de casarão no Dois de Julho

A mascote estava assustada quando foi retirada de escombros

Bruno Wendel, do Correio 24h (bcardoso@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Se é lenda que os gatos têm sete vidas, Ipanema colocou a crendice à prova. Um dia após o desabamento do Armarinho Suzi, no bairro Dois de Julho nesta sexta-feira (1), a gata que habitava o local foi encontrada viva entre os escombros na manhã deste sábado (2). 

Foto: Bruno Wendel

“Ela estava nos fundos da loja, mas bastante assustada”, diz o lojista Helvison da Silva Quadros. Mascote do armarinho há 13 anos, Ipanema é conhecida pela indiferença quando algum cliente tentava brincar com ela. Na tarde desta sexta, durante a demolição de parte do edifício, situado na Rua do Cabeça, várias pessoas chegaram ao local procurando notícias sobre a felina, conhecida pela cara de poucos amigos.

O dia após o desabamento mal havia amanhecido, e clientes do armarinho ligavam para a loja da Carlos Gomes perguntando por Ipanema. “Ninguém queria saber se os funcionários ou se os donos estavam bem. Todos só perguntavam por Ipanema, pode?”, brinca uma funcionária. 

Toda preocupação com o bichano não era à toa. “Ipanema virou referência da loja do Rua do Cabeça. Ninguém fala ‘vou no Armarinho Suzi’. O povo diz: ‘Vou no armarinho da gata’. Ela sempre fez e continuará fazendo sucesso”, declara a funcionária.

A gata foi levada para outra loja do armarinho, que fica na Rua Carlos Gomes, para descansar. De pelos escuros, olhos claros e um pouquinho acima do peso, a gata estava inquieta na loja da Carlos Gomes. 

“O xodó dela é o armarinho da Rua do Cabeça. Ela circulava tranquilamente pelo balcão. Quando é levada para a loja da Carlos Gomes fica três dias parada na janela de casa em sinal de protesto”, conta Helvison.

Ainda assustada, Ipanema não quis ser carregada, sequer acariciada, pelos funcionários da loja. “Ela ainda está bastante tensa com tudo o que aconteceu”, conta o lojista. Vez ou outra bebia um pouco de água colocada em um copo próximo a um balcão.   

A gata, que há seis anos pariu três filhotes – um deles não resistiu –, leva o nome de um dos bairros mais famosos do Rio de Janeiro, mas é uma homenagem que os donos fizeram à personagem do seriado A Diarista, exibida pela Rede Globo entre os anos de 2003 e 2007. A Ipanema do seriado, interpretada por Dira Paes, era uma das duas amigas da protagonista, Marinete, vivida pela atriz Cláudia Rodriguez. 

Operação de limpeza

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) enviou ao local uma equipe com retroescavadeira e um caminhão munck para remover as estruturas que ameaçavam cair.

“Então, hoje pela manhã começamos a fazer uma varredura no local, retirando parte das mercadorias, pedaços de concretos e madeiras, e assim foi possível encontrar Ipanema, que estava ilesa entre os escombros”, conta Helvison. 

Normalidade

Ao contrário do que se viu após o desabamento, o comércio na Rua do Cabeça voltou ao normal neste sábado. A rua em frente ao armarinho, isolado por segurança, já estava ocupado por ambulantes quando a equipe do CORREIO esteve no local. 

“Temos que trabalhar, não tem jeito. Como a Codesal liberou, voltamos a trabalhar. Mas sempre fica um pouco de medo, né?”, indaga Maria das Graças dos Santos, 53, dona de uma banca de verduras ao lado. “O que a gente espera é que situações como esta não ocorram mais”, emenda o dono de uma banca de folhas medicinais, João Messias da Costa, 48. 

O dono do armarinho Helvison disse que pretende reerguer o Suzi em 15 dias. “Trabalhando sem parar, acredito que será possível. No entanto, as vendas de Natal já perdi. Estimo uns R$ 150 mil que deixarei de receber com as vendas, fora o prejuízo com o desabamento”, pontua.