Salvador

Globo FM comemora 30 anos com nova marca e liderança de audiência

A GFM 90,1 também inicia seu novo ciclo com um processo de modernização

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em


A Globo FM já está em uma nova fase. Comemorando três décadas de sua existência, a rádio líder de audiência há 15 anos no segmento A e B, acima de 25 anos, e atualmente entre todas as emissoras (no horário das 5h à 0h), passa a se chamar GFM 90,1 e inicia o seu novo ciclo. A mudança no nome é apenas um dos pontos de destaque de um processo de modernização que está em curso desde o início do ano.

Foto: Divulgação/ GFM 90,1

A empresa adquiriu nos últimos meses um dos mais modernos transmissores do Brasil (que permite uma melhor qualidade de som), também passa por um novo, mais robusto e funcional aplicativo (a ser lançado no final de novembro) e terá uma mesa de áudio digital em breve. "Vários investimentos foram, e ainda estão sendo, feitos em sua modernização – e o que estamos fazendo com a marca seja, talvez, a ação mais visível em todo esse movimento", afirma o gerente das rádios da Rede Bahia, Luís Moreira.

As novidades são uma forma de continuar levando aos ouvintes a qualidade que eles já conhecem e que se tornou o principal ativo da marca. Quem cresceu escutando a 90.1 vai continuar sintonizando para relaxar ou relembrar bons momentos, com músicas que se tornaram trilha sonora para suas vidas.

"A GFM 90,1 surge como a ponta do iceberg de todo esse processo. E vem pra mostrar que modernidade não significa necessariamente mudança. Continuamos sendo a mesma rádio que somos há 30 anos: o mesmo dial, os mesmos locutores, o mesmo slogan, as mesmas vinhetas, os mesmos programas e o mesmo jingle. Continuamos e continuaremos sendo uma rádio feita exclusivamente para quem gosta de música", garante Moreira.

Com o slogan "pra quem gosta de música”, a GFM 90,1 construiu ao longo dos anos uma história de cumplicidade com o público. Um levantamento realizado pela emissora em suas redes sociais mostrou

que a presença dela na vida cotidiana dos baianos está ligada às

sensações de acolhimento, conforto sonoro e formação do gosto musical.