Salvador

Grávida de 5 meses é vítima de 'sequestro-relâmpago' em shopping de Salvador

Médica foi abordada por dois homens quando abriu a porta traseira do carro para guardar bolsa

Redação iBahia (redacao@ibahia.com)
- Atualizada em

Uma médica de 32 anos, grávida de cinco meses, foi vítima de um "sequestro-relâmpago" em Salvador. O caso aconteceu no estacionamento do Shopping Paralela, na última terça-feira (11), por volta das 10h.

Segundo informações do g1 Bahia, ela foi abordada pelos bandidos quando deixava o local onde trabalha. Cerca de R$ 30 mil foram sacados ou desviados pelos suspeitos. 

Em entrevista ao g1 Bahia, a mãe da vítima contou que a médica estacionou o veículo em uma vaga reservada para gestantes no piso G1. Ela foi abordada por dois homens em um carro, quando abriu a porta traseira para guardar a bolsa. 

Um dos suspeitos então desceu do veículo em que estava, e anunciou o assalto. A mulher foi empurrada para dentro do automóvel, enquanto o outro homem assumiu a direção do carro dela. 

Os três saíram do estacionamento no mesmo veículo. “Não tinha ninguém no momento, o shopping estava vazio”, comentou a mãe.

Ao g1 Bahia, a mulher relatou que, enquanto um dos suspeitos dirigia, o outro permanecia com a médica no banco de trás. Uma arma estava apontada em sua direção durante todo o ocorrido. 

Ao chegar em um trecho da Avenida Orlando Gomes, os bandidos encontraram um terceiro homem que o aguardava em uma motocicleta. O terceiro suspeito entrou no carro, sentou no banco do carona e os três voltaram ao Shopping Paralela para pegar o veículo usado na abordagem da vítima. 

Prejuízo de R$30 mil 

Depois, os carros seguiram para o Salvador Norte Shopping, em São Cristóvão. De acordo com o g1 Bahia, um dos suspeitos aguardou no carro, no estacionamento do local, enquanto outros dois foram a um supermercado, ao lado do shopping. 

No mercado, os bandidos sacaram o dinheiro da vítima em um caixa eletrônico. Inicialmente foi feito um um saque de R$ 2 mil, além de transferências bancárias via PIX no valor de R$ 28 mil. Ao g1 Bahia, a mãe também revelou que todas as transferências foram feitas para contas em nome de mulheres.

Segundo ela, um dos envolvidos tinha uma máquina de cartão de crédito, que foi utilizada para efetuar a transferência do dinheiro. A quadrilha chegou a aumentar o limite de compra disponível no cartão da vítima e fez empréstimos e PIX para conta de laranjas. 

A médica foi liberada depois que os suspeitos não conseguiram movimentar mais a quantia. A operação financeira foi cancelada pelo banco da vítima. 

Cerca de três horas depois, em um trecho na Avenida Paralela, próximo a uma clínica veterinária, a médica foi liberada. O carro dela, joias e o telefone celular foram levados. 

O caso foi registrado na Delegacia de Repressão a Furto e Roubo de Veículos (DRFRV), em Salvador, que investiga o crime.

Posição do Shopping Paralela

Por meio de nota, o shopping informou que entrou em contato com a vítima para ter informações sobre o crime. Além disso, o estabelecimento afirmou estar colaborando com as autoridades responsáveis para a investigação.

Segundo o comunicado, após o episódio, a segurança privada do local foi reforçada.