Salvador

Grupo de 23 gatos entra na Justiça contra construtora e pede indenização de R$ 230 mil

Estudante que cuida dos animais há mais de três anos é a representante do grupo

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em


Um grupo de 23 gatos que estão em situação de rua entrou na Justiça, representado por uma estudante para pedir à duas construtoras responsáveis por um empreendimento no bairro da Graça, em Salvador, arcarem com custos de manutenção, além de cobrar uma indenização de R$ 230 mil. As informações são do Estadão.

No polo ativo do processo figuram Diego, Margarida, Florzinha, Lady, Trico, Frida, Fofucha, Tim, Harry, Tigresa, Nino, Tigrão, Chitãozinho, Monalisa, Monalisinho, Tigradinha, Chorão, Laranjinha, Pimpó, Tigrado, Pretinha, Zangada e Branca. Os bichanos são representados por Camila de Jesus Dantas de Oliveira.

Foto: Reprodução

O pedido foi apresentado na Justiça no início deste ano contra a Civil Construtora e a Barcino Esteve Construções, que são responsáveis pelo terreno onde os gatos habitam, e que abrigará um empreendimento feito pelas empresas.

De acordo com a peça, a estudante e a mãe dão comida, água e vermífugos há mais de três anos aos gatos. No entanto, pelas mulheres não terem acesso ao terreno da construção, "os gatos estão morrendo porque estão sem água e comida", segundo o texto. Outra razão seria o fato de que os bichanos "estão em meio a entulhos e empregados". Camila teria pedido autorização para entrada no terreno, mas o teve negado pelas construtoras.

Uma sessão de mediação será realizada na próxima quinta-feira (5), em Salvador.

Em nota enviada à imprensa, a construtora  CIVIL e a BARCINO ESTEVE afirmou que os gatos foram capturados, passaram por procedimentos médico-veterinários e foram encaminhados para centros de adoção. Confira abaixo a nota na íntegra:

A CIVIL e a BARCINO ESTEVE, sócias da empresa responsável pelo terreno e pelo empreendimento Lucce Graça, esclarecem, por meio desta nota, que todas as providências e cuidados necessários já haviam sido tomados, inclusive arcando com todos os custos, para a captura (iniciada no dia 21/01 e finalizada no dia 28/01), procedimentos médicos-veterinários e destinação dos gatos lá encontrados com acompanhamento e concordância da autora da ação. Importante frisar que os felinos não se encontram mais no terreno, tendo sido capturados por entidade especializada (Projeto Gateiros Salvador) e transferidos para um abrigo (Sítio Doce Lar) que tem como objetivo dar moradia segura, digna e agradável para animais até a sua adoção.

Assim, nenhuma procedência tem aquelas equivocadas imputações, como se esclarecerá oportunamente na esfera jurídica.

O Lucce Graça foi projetado pensando nos animais, orientado pelos maiores especialistas locais. O empreendimento possui um Pet Place com mais de 180m² para permitir que eles socializem, gastem energia e tomem banho sem passar pelo trauma do banho externo. Tudo foi pensado para o bem-estar dos nossos clientes e, claro, dos seus pets.