Salvador

Grupo promete impedir ônibus de circular em Salvador nesta sexta

Veja os setores que devem cruzar os braços em 'Dia Nacional de Paralisações'

Milena Teixeira, do Correio 24h

Os rodoviários de Salvador não vão paralisar as atividades nesta sexta-feira (10), mas devem ter dificuldades para circular pela cidade, por conta de uma manifestação organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

De acordo com Cedro Silva, presidente da CUT na Bahia, durante o chamado Dia Nacional de Paralisações, os manifestantes não vão deixar os coletivos circularem na capital e na Região Metropolitana. “Nós vamos parar os ônibus que estiverem circulando”, disse ao CORREIO.

Ainda segundo ele, os trabalhadores que aderirem ao movimento vão cruzar os braços no início da manhã, por volta das 7h. Às 11h, parte deles deve sair do Campo Grande, em direção ao Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA), e à sede da Previdência Social, ambos no bairro do Comércio.

Ônibus fora das garagens

Segundo o diretor de saúde e segurança do Sindicato dos Rodoviários, Pedro Celestino, apesar do aviso, os coletivos vão para as ruas. "Os ônibus vão circular normalmente", confirmou, também em entrevista ao CORREIO.

Inicialmente, havia a expectativa que os rodoviários aderissem ao movimento, mas isso acabou não se confirmando.

Dia de paralisações

Sindicatos de todo os país estão sendo convocados para aderir à mobilização no Dia Nacional de Paralisações, organizada pela própria CUT. Na Bahia, a manifestação vai reunir diferentes categorias profissionais, que podem paralisar totalmente as atividades ou aderir parcialmente à manifestação.

Segundo os organizadores do movimento, ele tem como objetivo protestar contra retrocessos do governo Michel Temer. Eles citam a reforma trabalhista, que entra em vigor neste sábado (11), além das mudanças planejadas para a Previdência, em análise no Congresso, e o decreto publicado pelo Ministério do Trabalho que modifica a definição de trabalho escravo e deixa nas mãos do ministro a inclusão de empresas na "lista suja" daquelas que desrespeitam os direitos trabalhistas.

A expectativa, segundo os sindicalistas, é que o ato reúna cerca de 50 mil trabalhadores e estudantes.

Veja a lista com algumas das atividades e serviços que podem deixar de funcionar na manhã desta sexta-feira.

Trabalhadores

Posicionamento

Professores municipais, estaduais e federais 

participam da paralisação

Vigilantes 

participam da paralisação

Metalúrgicos 

participam da paralisação

Comerciários

participam da paralisação

Correios

participam da paralisação

Petroleiros

participam da paralisação

Aeroviários

participam da paralisação

Policiais Civis

participam da paralisação

 Eletricitários

participam da paralisação

Rodoviários de Salvador

não devem aderir à paralisação

Rodoviários das Regiões Metropolitanas

não devem aderir à paralisação 

Trabalhadores da área de limpeza urbana

participam da paralisação

Bancáriosparticipam da paralisação até às 12h