Salvador

Homem alega ter sido vítima de racismo por gerente de banco e recebe 'mata-leão'; vídeo

Caso ocorreu na última terça-feira (19), em uma agência bancária localizada no centro de Salvador

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um homem publicou uma denúncia em suas redes sociais, nesta segunda-feira (25), onde alega ter sido vítima de racismo em uma agência bancária da Caixa Econômica Federal, localizada no centro de Salvador, e de agressão por parte de policiais militares. A situação foi registrada em vídeo por uma das filhas de Crispim Terral e foi publicada na internet junto com a postagem.

Foto: Reprodução
De acordo com o depoimento de Crispim, a situação teve início após o gerente do banco deixar ele esperando por quase cinco horas pata ser atendido. Quando ele foi reclamar da demora, o funcionário acionou a polícia militar. Na abordagem, um policial dá um 'mata-leão' no homem. O caso aconteceu na última terça-feira (19).

Na postagem, Cristpim contou que foi solicitar um  comprovante de pagamento de dois cheques pagos pela Caixa Econômica, mas foram devolvidos. Após esperar por mais de cinco horas, segundo o relato, o homem procurou o gerente geral da agência que, segundo ele, o atendeu de forma ríspida e acionou a polícia.

Crispim contou ainda que, primeiramente, dois policiais chegaram no local e pediram de forma educada para que ele e o gerente fossem à delegacia prestar esclarecimentos. Porém, um dos gerentes disse que ele só iria para o local se "se os policiais o algemassem e que ele “não faz acordos com esse tipo de gente'".


Em nota enviada ao iBahia, a polícia militar informou que uma guarnição da 18º Batalhão foi solicitada pelos funcionários da agência em virtude de um cliente se recusar a sair do local após o expediente. "No local, os policiais militares conversaram com o gerente da agência e ele relatou que o homem estava solicitando um comprovante de transação, que não poderia ser fornecido naquele momento, e solicitou a remoção do cidadão do interior do estabelecimento em razão do encerramento do expediente bancário", relata a nota.

Ainda segundo o comunicado,  "os policiais, então, dirigiram-se ao homem e solicitaram que ele acompanhasse a equipe junto com o representante da agência bancária à delegacia, para formalização da ocorrência em razão do impasse gerado pelo conflito de interesses. Os policiais relataram que o cidadão começou a se exaltar e dizer que não sairia da agência sem ter a sua demanda atendida, contrariando a recomendação das autoridades que intervieram no conflito"

"Houve a necessidade de empregar a força proporcional para fazer cumprir a ordem legal exarada, mesmo após diversas tentativas de conduzi-lo sem o emprego da força. Ele não foi algemado. O vídeo divulgado mostra uma condução técnica dos policiais militares na ação e também observa-se uma edição suprimindo parte do ocorrido", relata a polícia.

Ainda de acordo com a nota, "o cidadão foi conduzido à Central de Flagrantes onde foi autuado por desobediência e resistência. Administrativamente uma sindicância será instaurada pelo 18º BPM para apurar todas as circunstâncias da intervenção policial. É importante ressaltar que, apesar de ser um estabelecimento federal, quando a PM é acionada tem o dever de atender a ocorrência".

Também em nota enviada ao iBahia, a Caixa Econômica Federal que, até o momento, não foi identificada qualquer atitude de cunho discriminatório por parte de nenhum dos colaboradores. "A Caixa repudia atitudes racistas ou de discriminação cometidas contra qualquer pessoa", disse o comunicado.