Salvador

Inema aponta 22 praias impróprias para banho em Salvador e Lauro de Freitas

Entre os locais apontados está a praia do Farol da Barra

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Mesmo com o tempo melhorando em Salvador, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Inema - informa que, das 34 praias avaliadas pelo órgão, nas cidades de Salvador e Lauro de Freitas, 22 estão impróprias para o banho.


O órgão chama atenção dos banhistas para que evitem as praias de Penha (em frente à Igreja N. S. da Penha), Pedra Furada (atrás do Hospital Sagrada Família), Boa Viagem (ao lado do Forte), Roma (atrás do Hospital São Jorge), Canta Galo (atrás da antiga fabrica da Brahma, atual FIB), Farol da Barra (em frente à Rua Dias D’Ávila e em frente à Rua Alfredo Magalhães), Ondina (em frente à Rua Ademar de Barros e em frente ao Ed. Maria José, próxima ao Morro da Sereia), Rio Vermelho (em frente à Igreja N. S. Santana), Amaralina (em frente à Escola Cupertino de Lacerda e em frente ao Edifício Atlântico), Pituba (em frente à Rua Paraíba, próximo ao Ki-Mukeka, e atrás do antigo Clube Português), Armação (em frente ao Clube Inter. Pass), Boca do Rio (em frente ao Posto Salva Vidas), Corsário (em frente ao Posto Salva Vidas e em frente ao Posto Salva Vidas de Patamares), Itapuã (em frente à Sereia de Itapoã), Ipitanga (em frente à rotatória do Kartódromo), Vilas do Atlântico (trecho situado entre à Praia de Paquetá e Leblon) e Buraquinho (em frente à barraca de Praia Chalé). Nas demais praias da RMS, as condições são normais, lembrando que deve-se evitar o banho de mar em tempo chuvoso.


De acordo com a resolução Conama a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas, apresentar resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2500 coliformes termotolerantes ou 2000 Escherichia coli ou 400 enterococos por 100 mL de água.


No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos diversos, carregados das ruas através das galerias pluviais, podendo causar doenças. Além disso, é desaconselhável, ainda em dias de sol, o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem.