Salvador

Interdições na Boca do Rio, Plataforma e Avenida Joana Angélica começam nesta segunda (11)

Medidas iriam começar no último sábado (9), mas por conta das chuvas foram adiadas para hoje

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

A partir desta segunda-feira (11) os bairros a Boca do Rio, Centro e Plataforma passarão por medidas restritivas (fechamento de estabelecimentos comerciais e interdição de ruas e avenida) para conter o avanço do novo coronavírus em Salvador. De acordo com o G1 Bahia, as medidas iriam começar no último sábado (9), mas por conta das chuvas foram adiadas para hoje.

A medida que será válida, inicialmente, por sete dias, foi criada pela prefeitura que identificou um grande volume de pessoas circulando pelas principais ruas dos bairros, além da Avenida Joana Angélica durante a pandemia. A capital é a cidade da Bahia com maior número de casos de coronavírus, com mais de 3,2 mil pacientes. 

"Nós fizemos um estudo e esse estudo leva em consideração os casos, a incidência, o aumento do transporte público, o aumento da quantidade de carros, depois desse cruzamento, nós chegamos a conclusão que essas três áreas são as piores de Salvador e que eram necessárias intervenções a favor da vida. Não é simplesmente fechar o bairro e tirar o ambulante da rua. Nós vamos realizar ações que vão inibir a proliferação do vírus. Vamos lavar o bairro inteiro, vamos fazer pulverizações e medir temperatura das pessoas", disse o secretário de mobilidade, Fábio Mota.

Segundo ainda o G1 BA, nesses bairros, o acesso será permitido apenas a moradores, com apresentação do comprovante de residência. Todas as atividades comerciais formais e informais estarão proibidas, exceto supermercados, farmácias, bancos e agências lotéricas.

Já em relação aos veículos, a restrição ocorrerá das 7h às 19h. Já os ônibus terão acesso normal às localidades. "Aqui [Plataforma] não terá bloqueio de trânsito. Porém, na Joana Angélica e Boca do Rio terá bloqueio do trânsito, mas o transporte não terá alteração [em nenhum dos três pontos]. Há necessidade de fechar [as ruas] para fazer a limpeza, a pulverização e não dá para fazer esse tipo de ação com as pessoas e ambulantes na rua", explica o secretário.

Serão instaladas barreiras, e a fiscalização será feita por agentes da Superintendência de Trânsito (Transalvador), Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar da Bahia (PM-BA).

Além disso, a prefeitura realizará ações nos locais que terão restrições como, distribuição de máscaras à população local, aplicação de testes rápidos em postos fixos, medição de temperatura e ações de higienização nas ruas e de enfrentamento ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. 

Os ambulantes e feirantes que atuam nesses bairros irão receber cesta básica. O auxílio será concedido mesmo se o trabalhador estiver recebendo outros benefícios dos governos federal, estadual e municipal.