Salvador

Julgamento de Kátia Vargas é adiado para dezembro

Segundo o TJ-BA, a mudança na data foi um pedido da defesa da médica

Redação Correio 24 horas
- Atualizada em

O julgamento da médica Kátia Vargas Leal Pereira, 49 anos, que estava marcado para começar no sábado (7) foi adiado para o dia 5 de dezembro. Segundo o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a alteração na data foi um pedido do advogado de defesa da médica, que estará em outro julgamento, nos Estados Unidos, na mesma data. Kátia Vargas é acusada de matar os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, então com 21 e 23 anos, no dia 11 de outubro de 2013, em frente ao Bahia Othon Palace, na Avenida Oceânica, em Salvador.

Emanuel e Emanuelle eram irmãos (Foto: Reprodução)

Em nota, o TJ-BA informou que a juíza Gelzi Maria Almeida Souza, titular do 1º Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri, adiou a sessão de julgamento por considerar imprescindível a presença do advogado nos dois julgamentos. 

"No pedido, o advogado que sustentará a defesa em plenário informa que vai participar de um julgamento a ser realizado pela Corte Federal de Justiça Americana, em Nova Iorque, no dia 6 de novembro", explica a nota do TJ-BA.

O advogado José Luis Mendes Oliveira Lima, que representa Kátia Vargas, contou sobre o motivo do pedido. "Tenho outro julgamento, nos Estados Unidos, na mesma data que o de Salvador. A mudança (do caso Kátia Vargas) é de apenas um mês, então, não vai prejudicar a defesa nem a acusação. Eu também não tenho interesse no adiamento do julgamento porque não quero prolongar o sofrimento da minha clientes", afirmou.

Carro de Kátia Vargas após o acidente (Foto: Arquivo CORREIO)

"A solicitação foi feita por considerar imprescindível a presença tanto no julgamento que se realizará nos Estados Unidos como no julgamento que ocorrerá em Salvador, para garantir a ampla defesa, considerando que ambos os casos apresentam contornos indiscutíveis de complexidade", completa a nota.

O julgamento está marcado para começar às 8h, e será realizado no Fórum Rui Barbosa. Kátia Vargas será levada a júri popular e responderá por homicídio triplamente qualificado (por motivo fútil, perigo comum e por utilização de recursos que impossibilitaram a defesa das vítimas). Segundo a polícia, ela teria arremessado o carro contra a moto em que as vítimas estavam após uma discussão no trânsito.

Após o fato acontecer, Kátia Vargas ficou presa por 58 dias no Presídio Feminino de Salvador, no Complexo Penitenciário da Mata Escura. Na semana passada, o projetista Waldemir de Sousa Dias, 59, pai de Emanuel e Emanuelle, morreu depois de sofrer um ataque cardíado. Segundo a família, ele estava vestido uma camisa com as fotos dos filhos no momento em que passou mal.