Salvador

Julgamento do caso Colombiano será realizado nesta terça (05)

O casal foi morto na rua Teixeira de Barros, em Brotas, em junho de 2010

Redação Correio 24h

O julgamento do assassinato dos sindicalistas Paulo Colombiano e de sua esposa Catarina Galindo será realizado nesta terça-feira (05), às 12h. A decisão será tomada através de um júri popular, que irá acontecer no Tribunal de Justiça (CAB).

Foto: Reprodução/TV Bahia

A decisão sobre o júri popular foi tomada no dia 04 de julho, pelo juiz Paulo Sérgio Barbosa de Oliveira, do Segundo Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Salvador, pela Pronúncia dos réus Claudomiro Cesar Ferreira Santana, Adailton Araújo de Jesus, Wagner Luis Lopes de Souza e Edilson Duarte Araújo. 

Segundo o Tribunal de Justiça da Bahia, a pronúncia significa que os réus serão submetidos a julgamento pelo Tribunal do Júri da Comarca de Salvador. Já o réu Cássio Antônio Ferreira Santana foi impronunciado por falta de provas. Ou seja, não irá ao Tribunal do Júri.


O crime

O casal, que estava junto há 20 anos, chegava numa Kia Sportage em casa, no condomínio Catavento, na rua Teixeira de Barros, em Brotas, em junho de 2010, quando foi surpreendido por dois homens em uma moto. Colombiano foi alvejado sete vezes, e Catarina foi atingida com um tiro.

O então delegado-chefe da Polícia Civil, Joselito Bispo, afirmou que não restava dúvida de que o crime tinha sido encomendado. Irmão de Catarina, Geraldo Galindo, contou ainda que, três dias antes do assassinato, Colombiano comentou que poderia sofrer ameaças.

Claudomiro teria encomendado a morte de Colombiano quando este revisou os contratos com a Mastermed e o sindicato, e descobriu valores abusivos. Wagner, Edilson, e Adailton foram presos em maio de 2012. 

Adailton e Wagner trabalhavam como seguranças do Atacadão Centro-Sul, do qual Claudomiro é proprietário. Edilson é ex-funcionário da Mastermed e trabalhava como chefe de segurança da Atacadão Centro-Sul.