Salvador

'Levaram meu celular e mais R$ 1000', diz aluno assaltado em faculdade na Calçada

As vítimas do assalto foram 40 participantes do programa jovem-aprendiz do CIEE

Maria Landeiro | Correio 24h (maria.landeiro@redebahia.com.br)
Cerca de 40 participantes do programa jovem-aprendiz do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), foram alvo do assalto à faculdade Estácio, na Calçada, na manhã desta quinta-feira (10). Segundo os participantes, o CIEE aluga uma das salas da faculdade para realizar as atividades do programa todas às quintas-feiras pela manhã. Ainda na tarde de hoje, algumas vítimas compareceram à 3ª Delegacia de Polícia (Bonfim) para prestar queixa do ocorrido. Um dos participantes, Alê Carvalho, 21 anos, teve o celular roubado junto com mil reais que havia sacado no banco.“Eu tentei esconder minha mochila, mas quando ele viu ameaçou me dar um tiro”, relatou ele. “Ele abriu a mochila e pegou o celular e o dinheiro. Depois da aula eu iria para o aeroporto comprar passagens para o Rio de Janeiro, era uma viagem a trabalho”, completou.O participante chegou a afirmar que pretende abrir um inquérito contra a Estácio para reaver o dinheiro."Eu tenho a nota que comprova e saque e mais três testemunhas que viram o bandido tirando o dinheiro da minha mochila, e vou usar todos esses álibis no processo", disse o participante.Outros estudantes tiveram a mochila inteira roubada, como foi o caso de Matheus Mota, 19. “Eles eram dois, um ficava na porta prendendo a gente e o outro ia assaltando, levou minha mochila com tudo dentro”, lamentou o rapaz.Uma participante, que preferiu não se identificar, conseguiu esconder o celular sem os bandidos perceberam. “Eu coloquei dentro de uma pochete e a joguei no chão. Quando eles chegaram até mim, levaram apenas meu relógio”, contou. Os estudantes relataram que o local tem pouca segurança, contando com apenas um porteiro. “A gente nunca espera ser assaltado em um ambiente como esse, mas não há fiscalização nenhuma lá sobre quem entra e quem sai”, relatou Vitória Libório, 18, também participante do programa jovem-aprendiz.A faculdade informou que, como um centro universitário, precisa dar espaço a todos e não pode barrar e nem revistar as pessoas na entrada. A Estácio informou que conta com monitoramento interno através de câmeras para manter a segurança.
Correio24horas